Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
AMAGO  (17-08-2016)
ILUSTRES MEMORIAS  (03-08-2016)
DNA MARIA RITA   (09-03-2016)

Rating: 2.4/5 (35 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



 

DNA MARIA RITA
DNA MARIA RITA

DNA  MARIA  RITA  DISSE:

Algumas receitas: 
01. Quiabo (sementes) – Torra-se e mistura-se no café. É remédio para tosse.
02. Coentro (sementes) – Para gripe, constipação e resfriado.
03. Erva doce (sementes) – Usam-se como chá, infusão. Usado para dor de barriga. (A erva-doce, que faz um chá muito agradável, é excelente para os gases)
04. Girassol (sementes) – Torra-se e faz café. Serve para “ar do tempo”. Serve para epilepsia, quando se tem ataque pela primeira vez.
05. Mostarda – Faz-se chá. Usado para “ar do tempo” e como purgante. (A tintura de mostarda é óptima para baixar a febre. Esfrega-se nas costas, sobre a espinha)
06. Pau-brasil – Faz-se chá ou toma-se com cachaça. Usado para quando “faltam os tempos” (as regras menstruais).
07. Sabão de Alcatrão – Para coceiras e tirar fedor do sovaco.
08. Alcaçuz (cipó “do céu”, raiz) – Faz-se chá. Usado para tosse.
09. Alecrim de tabuleiro (galhos e folhas) – Usado para febres, bronquites, defumador de casa e das pessoas, “mau olhado”.
10. Pedra hume – Usa-se no banho, para “arrochar as carnes”.
11. Anil (pedra) – Para clarear a roupa e também para curar rabugem de cachorro. (Dá-se no pirão).
12. Alfazema – Faz-se chá. Serve para desinfectar quando a criança nasce e também é usado para dores de barriga pós-parto. Usado para a mulher que quebra resguardo, menstruação, falta de regras, dor de dentes. Para curar dor de dente mistura-se com fumo de cigarro ou coloca-se no cachimbo.
13. Pixilinga (consertado-misturado) – Purgante “consertado” com óleo de rícino e noz moscada.
14. Estrela do mar – Torra-se no fogo, mói-se e põe aquele pó n’água morna e bebe-se. Serve para curar tosse brava e puxado de peito. É bom também para “desmantelo de mulher”.
15. Linhaça (sementes) – Pisa-se e faz-se chá. Serve para curar quem está com a “obra empitada”, prisão de ventre “dores caseiras”.
16. Azeite dendê – Usado para “mal do monte” um vermelhão que dá na pessoa. Passa-se em cima das perebas.
17. Eucaliptos – Faz-se chá das folhas. Usado para febre. (misturando uma colher de sopa de vinagre em meia chávena de chá de eucalipto, bem forte, obtém-se um excelente remédio para a dor de dentes. Bochechando demoradamente a dor passa de imediato. Não beber, porque o excesso de eucaliptol pode provocar intoxicação)
18. Marmeleiro branco – Faz-se chá. Usado para o sangue, feridas e afinar o sangue.
19. Folha de louro – Usada para inchação. (Dizem que é “remédio santo”, em chá, para a diarreia. Faz parar de imediato)
20. Goma de batata – Põe-se no vinho branco. Usada para calor e sífilis.
21. Tintura de eucalipto – Cheirar para dor de cabeça.
22. Enxofre – Usado para curar coceira e sarna.

“AO PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO"

s.

 

 

 


Alcachofra (Cynara scolymus)

 

ABACATEIRO (Persea gratíssima): Rico em vitaminas e proteínas, é diurético, usado popularmente no combate à gota, ácido úrico e para eliminar cálculos renais e biliares. O chá da folha do abacateiro é diurético e carminativo (elimina gases intestinais), além de ajudar a vesícula a liberar a bile, melhorando a digestão das gorduras. É preferível usar as folhas secas, pois as verdes são estimulantes e aceleram os batimentos cardíacos. A polpa do abacate é fortificante dos cabelos e tem alto poder cicatrizante. O caroço (semente) tostado e moído bem fino é auxiliar no combate à diarréia e à disenteria. A polpa é muito rica em nutrientes, vitaminas, sais minerais e antioxidantes. Suas gorduras são parecidas com as do azeite de oliva e seu teor de colesterol é baixo ao contrário do que muita gente pensa.

 

ABÓBORA (Curcubita pepo): As folhas são usadas em cataplasma em casos de queimaduras e inflamações. É excelente vermífugo, tônico para o fígado, rins e intestinos. Contém grande quantidade de vitamina A, essencial para a saúde da pele e mucosas.

 

AÇAFRÃO (Crocus sativus): Usado popularmente contra a tosse, bronquite, ansiedade e insônia. Ajuda a melhorar as funções de muitas enzimas do fígado.

 

ABRUNHEIRO (Prunus spinosa L): Considerado digestivo, aperitivo, carminativo (elimina gases intestinais), antiespasmódico e emenagogo (ajuda a regular a menstruação). Combate a tosse causada pela bronquite crônica, ansiedade, insônia. São utilizados os frutos bem maduros e as flores secas. Seu uso não é recomendado durante a gravidez, pois em alta dosagem pode ser tóxico, abortivo, causar hemorragias, vômitos, diarréias e vertigens.

 

ABSINTO (Artemisia absinthum): Popularmente é usado como estimulante, em pequenas doses. Conhecido por ajudar a amenizar a anemia e descarregar a bílis. Costuma ser consumido na forma de um chá com hortelã e canela. Evitar na gravidez e na lactação, embora seja considerado emenagogo (ajuda a regular a menstruação).

 

ACEROLA (Malpighia glabra L.): A acerola é uma das frutas mais ricas em vitamina C, que também é conhecida como ácido ascórbico. A vitamina C é fundamental para síntese de colágeno, proteína que dá resistência à pele, ossos, dentes, tendões e vasos sanguíneos. A vitamina C também é importante para a absorção intestinal de ferro e um potente antioxidante, diminuindo a ação dos radicais livres sobre as células do organismo. A deficiência de vitamina C é caracterizada por dificuldade na cicatrização, por defeitos na formação dos dentes e fragilidade aumentada dos vasos sanguíneos.

 

AGONIADA (Plumeria lancifoliata): Popularmente considerada pr ser calmante das histerias, amenizar cólicas, menstruações difíceis e dolorosas e as febres intermitentes.

 

ALCACHOFRA (Cynara scolymus): Indicada popularmente contra psoríase, doenças das vias biliares e hepáticas, diabetes, icterícia, eczemas, erupções cutâneas, anemia, escorbuto, raquitismo, colesterol, hemorróidas, prostatite, uretrite, bronquite asmática, debilidade cardíaca, hepatite, colecistite. Possui substâncias com efeitos benéficos para as vias biliares e hepáticas. Possui como princípios ativos a cinarina e o ácido cafeico que estimulam a formação da bile hepática, regularizam a formação de sais biliares e o colesterol. Seu uso é indicado para os diabéticos. Ótimo diurético, ajuda a eliminar o ácido úrico e o reumatismo. Evitar na lactação.As folhas ajudam a reduzir a taxa de açúcar no sangue e são usadas como coadjuvantes no tratamento da diabetes. Tem efeito antiesclerótico, ou seja, auxilia a evitar o endurecimento das artérias. O suco fresco é utilizado externamente para tratar eczemas e erupções cutâneas. O consumo da alcachofra é excelente para quem sofre de anemia, pois é uma fonte muito rica em ferro. Por ter ação digestiva, auxilia também na prisão de ventre. Combate o escorbuto e o raquitismo pelo conteúdo de suas vitaminas.

 

ALCAÇUZ (Glycyrrhiza glabra): Na medicina popular é indicado para alivar tosse, combater úlceras, como laxante e expectorante. Usado também nas conjuntivites, desordens do fígado, desequilíbrios hormonais e problemas da garganta. O uso medicinal do alcaçuz é datado dos povos antigos do Egito, relatado em seus papiros. A complicada composição química do alcaçuz dá a ele um largo espectro de propriedades. Centenas de estudos já comprovaram sua ação no tratamento de doenças do fígado, supra-renais, desequilíbrios hormonais e úlceras pépticas. Na China, onde é uma das ervas mais utilizadas, é indicado para o baço, rins e proteger o fígado de doenças. No Japão um preparado de alcaçuz é utilizado para tratar a hepatite. Muitos estudos comparam sua ação com a hidrocortisona, mas sem seus efeitos colaterais. Como a cortisona, teria o efeito de diminuir as inflamações e aliviar sintomas de artrite e alergias, daí seu efeito anti-histamínico. A raiz possui glicirrizina (cinqüenta vezes mais doce que a sacarose), que favorece a formação de hormônio como a hidrocortisona. Mulheres com ciclos menstruais irregulares costumam usar alcaçuz para normalizar seus ciclos, pelo equilíbrio hormonal. O alcaçuz é ligeiramente laxante.

 

Alecrim (Rosmarinus officinalis): Também conhecido como alecrim-de-jardim, alecrim-rosmarino ou libanotis. Considerado estimulante e digestivo, apresenta propriedades antiespasmódicas, e vasodilatoras. É também antiácido e antiséptico. Muito usado nos problemas digestivos, essencialmente nos males que acometem o fígado. Por suas virtudes tônicas e estimulantes é indicado contra a depressão e o cansaço físico. Popularmente , o alecrim é usado contra dores reumáticas, gases intestinais, debilidade cardíaca, inapetência, cicatrização de feridas, dor de cabeça de origem digestiva e problemas respiratórios. Em altas doses pode ser tóxico e abortivo. Em doses elevadas pode provocar irritações gastrointestinais.

 

ALFAFA (Medicago sativa): Planta usada como suplemento alimentar, rica em vitaminas (especialmente a vitamina K), minerais, contém potássio, magnésio, fósforo e cálcio. Age nas anemias e hemorragias. Revigorante nos casos de fadiga e alimentação insuficiente. O rico valor nutricional da alfafa torna-a um alimento valioso.

 

ALFAVACA (Ocimum basilicum): Também conhecida como basilicão, erva-real, manjericão de molho. Tem poder antiséptico, ajuda na cura de feridas e hematomas. A infusão forte pode ser usada em gargarejos e bochechos contra dor de garganta, mau hálito e aftas. Serve ainda contra queda de cabelos (deixar agir por cinco minutos e enxágüe). O chá é usado contra náuseas, gases e disenterias.

 

ALFARROBA (Ceratonia siliqua L): Usada como antidiarréico para crianças. A alfarroba (do árabe “al karrub”, a vagem), é o fruto da alfarrobeira. É também consumida na forma de chá numa composição com erva-mate e menta. Há relatos que suas sementes foram usadas, no antigo Egito, para a preparação de múmias. Foram, aliás, encontrados vestígios de suas vagens em túmulos. Existem indícios de que os romanos mastigavam as suas vagens ainda verdes, muito apreciadas pelo seu sabor adocicado. O pó que é utilizado para substituir o cacau é derivado da polpa da vagem que é torrada e moída. É utilizado por quem não pode ou não quer comer chocolate, seja por causa da cafeína ou por causa do açúcar, tem aparência idêntica e sabor bem mais suave.

 

ALFAZEMA (Lavandula officinalis): Poderoso anti-séptico, cicatrizante, estimula a circulação periférica, é antidepressiva, sedativa e analgésica. A planta também é considerada desodorante, purificante e ótimo repelente de insetos. Conhecida popularmente como lavanda, suas flores são indicadas contra o reumatismo, nevralgias, excitação nervosa, insônia, vertigens, contusões, feridas, inapetência, má digestão, asma, coqueluche, faringite, laringite, depressão, cistites, enxaquecas, bronquite, corrimento vaginal, prurido vaginal, sarna, piolho.

 

AGNUS CASTUS (Vitex agnus castus): Nativo da Grécia e da Itália, é uma planta cercada de lendas e mitos. Foi muito utilizada pelos célebres médicos da Grécia antiga, como Hipócrates e Dioscórides, no tratamento do desequilíbrio hormonal feminino e suas consequências na vida cotidiana da mulher. Pesquisas científicas têm comprovado a capacidade do Vitex de modular os níveis dos hormônios femininos, o que o torna útil em alguns distúrbios menstruais, como: dismenorréia (fluxo menstrual doloroso e irregular), hipermenorréia (hemorragia menstrual excessiva), oligomenorréia (menstruação anormalmente frequente), anovulação (suspensão da ovulação), amenorréia primária e secundária. É indicado também nos casos de mastodínia (dor nas mamas) e hiperprolactinemia (excesso de prolactina).

 

AGONIADA (Plumeria lancifolia): Árvore de grande altura, tronco grosso, cujo lenho se caracteriza pela dureza, tendo folhas e cascas extremamente amargas. Possui atividade laxativa, utilizada em casos febris, na amenorréia, nas menstruações difíceis e doloridas, regularizando essas funções..

 

ALHO (Alium sativum): Poderoso depurativo do sangue, é considerado expectorante, antiséptico pulmonar, antinflamatório, antibacteriano, tônico, vermífugo, hipoglicemiante, antiplaquetártio, antioxidante, diminui o colesterol e a viscosidade sanguínea. Indicado na diabete, hipertensão, bronquite, asma e gripes. Apresenta propriedades desinfetantes, antinflamatórias, antibióticas, anti-sépticas e vermífugas. O chá de alho é famoso por sua ação contra vermes e parasitas, além disso, é usado também na hipertensão, picadas de insetos e contra o ácido úrico. Deve ser usado com cautela por pessoas com problemas estomacais e úlceras. Seu uso não é recomendado em recém-nascidos nem por mulheres amamentando. Em doses muito elevadas, pode provocar dores de cabeça e de estômago.

 

AMEIXEIRA (Prunus doméstica): Tanto as folhas como o fruto, servem para soltar o intestino e regularizar as funções digestivas.

 

AMORA (Morus alba L. ou Morus Nigra): As folhas são empregadas no combate ao diabetes e às pedras nos rins. Recentemente descobriu-se ser muito útil na reposição hormonal. É também laxativa, sedativa, expectorante, refrescante, emoliente, calmante, diurética, antiinflamatória e tônica. Popularmente é indicada para problemas da pressão sanguínea, tosse, inapetência, prisão de ventre, inflamação da boca, febre, dermatoses, eczemas, erupções cutâneas. São conhecidas duas variedades alba e nigra. A segunda com frutos negros e a primeira com frutos brancos. No século XVI, na Europa, se empregavam tanto os frutos como a casca e as folhas da amora negra. O fruto para as inflamações e hemorragias, a casca para as dores de dentes e as folhas para as mordidas de cobra e também como antídoto de envenenamento por acônito. O chá de Amora é conhecido como regulador natural dos hormônios, por isso é amplamente indicado nos sintomas da menopausa. :
É usado popularmente para combater a osteoporose e como tônico muscular nas práticas desportivas, por possuir alto teor de potássio. Depurativo do sangue, anti-séptico, vermífugo, digestivo, calmante, diurético, laxativo e refrescante.

 

ANDIROBA (Carapa guaianensis): A semente desta planta amazônica serve como repelente e como reconstituinte celular da derme, eliminando inflamações e dores superficiais. Tem ação purgativa na eliminação de vermes. O óleo das sementes, que contem o alcalóide andirobina e matérias gordurosas, é utilizado na medicina popular, em compressas e fricções, como antiinflamatório, antibacteriano, cicatrizante, repelente de insetos. A casca do caule, as folhas e sementes são usadas em chás como adstrigente, no tratamento de diarréias, doenças da pele e limpeza de feridas.

 

ANGÉLICA (Angelica officinalis, archangelica): Muito indicada no trato digestivo e na insuficiência de suco gástrico e problemas estomacais. Usada também nas dores de cabeça, dores reumáticas e em casos de nervosismo, depressão e ansiedade.

 

ANIS ESTRELADO (Illicium verum): Estimulante do sistema digestivo, calmante, diurético, cicatrizante, antiinflamatório e antiviral. Usado contra acidez estomacal, gases, diarréia e cólicas intestinais. Útil nas gripes e resfriados. Tem a fama de ajudar a aumentar o leite materno.

 

ARNICA (Arnica montana): Considerada poderosa antiinflamatória, tônica estimulante, anti-séptica e analgésica. Indicada para uso externo por ajudar a bloquear a inflamação causada por traumatismos e reabsorver as células necróticas. Indicada em contusões, entorses, hematomas e traumatismos, flebites, furúnculos. O uso no couro cabeludo ajudaria a combater a querda dos cabelos. Não é recomendado o uso interno.

 

AROEIRA (Schinus terebinthifolius): Também conhecida como aroeira-do-paraná, aroeira-mansa e aroeira-vermelha. Têm sido comprovadas cientificamente suas propriedades adstringentes e antimicrobiana, além de sua eficácia na proteção contra úlcera gástrica. Balsâmica, é também empregada nas doenças de vias urinárias, como cistite. Nas bronquites, gripes e resfriados, ajuda a combater febre e secreções.

 

ARRUDA (Ruta graveoleons): Usada popularmente contra gases, nelvralgias e como vermífugo; além de combater piolhos e coceiras. Seu princípio, a rutina, ajuda a aumentar a resistência de vasos capilares sanguíneos. Indicada especialmente nos reumatismos, nevralgias, verminoses e problemas respiratórios, sua inalação abre os brônquios. É emenagoga, antiespasmódica e estimulante. Deve ser usada com muita cautela.

 

ARTEMISIA (Artemísia vulgaris): Também conhecida como losna-brava. Suas folhas são usadas como repelentes de insetos. Planta com ação estimulante sobre o útero, deve ser evitada por mulheres grávidas, por ser emenagoga. O chá ajuda a combater problemas de ovários, ciclo menstrual irregular, lombrigas e anemia. Não deve ser consumida em excesso.

 

ASSA PEIXE (Vernonia polyanthes Less, Bohemeria caudata): A infusão das folhas é usada em casos de gripes, tosse persistente e bronquite, aliviando dores no peito e nas costas. A infusão das folhas e das raízes tem efeito diurético e ajuda a eliminar cálculos renais.

 

AVEIA (Avena sativa): Combate a astenia e hemorróidas, acalma dores reumáticas, dá brilho aos cabelos, estimula a energia física e aumenta a capacidade de concentração. Auxilia em casos de arterioscleroses atuando contra o ácido úrico. Constitui um excelente alimento para diabéticos e hipertensos.

 

AVENCA (Adiantum capillus veneris): Tem ação protetora sobre peles sensíveis e age contra queda de cabelos. Combate males respiratórios como bronquite e tosse com catarro.

 

 


Bardana (Arctium lappa)

B

 

BABOSA (Aloe vera): Tem propriedades laxantes. A polpa é poderoso tônico para os cabelos, cicatrizante, repelente, tônico estomacal, ajuda a liviar queimaduras erisipelas e inflamações.

 

BARBATIMÃO (Stryphnodendron barbatiman): Rica em tanino. Usa-se externamente reduzida a pó e aplicado sobre úlceras, impingens e hérnias. Como tônica, a planta é usada em cozinhando-se a casca para combater hemorragias uterinas, catarro vaginal e diarréias.

 

BARDANA (Arctium lappa): Suas folhas são indicadas principalmente para a pele e como antibiótico, é ainda diurética, combate a diabetes, tem propriedades antiinflamatórias, bactericidas, depurativas e cicatrizantes, além de agir no couro cabeludo tratando as dermatites descamantes.Popularmente é usada também contra reumatismo, furúnculos, cálculos da bexiga e biliar, prisão de ventre, anemia, artrite, gastrite e hemorróidas.

 

BERINJELA (Solanum melongena): Estudos estão mostrando que o consumo da berinjela contribui para a redução dos altos níveis de colesterol e triglicérides no sangue, auxilia na redução da glicose (beneficiando diabéticos) e no bom funcionamento do intestino. Recentemente, o Instituto de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro, após estudo com um grupo de voluntários, concluiu que a farinha de berinjela (berinjela em pó) ajuda a emagrecer, favorecendo a queima de gorduras, auxilia na redução dos níveis de colesterol LDL, melhora o trânsito intestinal, tem ação diurética e diminui a fome, mostrando-se excelente coadjuvante nas dietas de emagrecimento. Colabora ainda na redução do ácido úrico no organismo que, em excesso, pode provocar dores nas articulações (artrite e reumatismo).

 

BOLDO (Coleus barbatus): Poderoso digestivo e estimulante das funções hepáticas, com propriedades tônicas e estimulantes, ativa a secreção salivar, biliar e gástrica em casos de dispepsias. Muito utilizado em hepatite crônica e aguda. Atua como antiespasmódico (diminui a cólica), além de aumentar e favorecer o fluxo biliar, sendo indicado em casos de distúrbios da função digestiva e em queixas suaves do trato gastrintestinal (má digestão, gases, intolerância à gordura).

 

BORRAGEM (Borago officinalis): Planta medicinal e alimentícia que tem o aroma do pepino, por isso se torna uma salada muito nutritiva. Possui vitamina C e alcalóides. Considerada antiinflamatória, expectorante, adstringente e altamente diurética. Na medicina popular é indicada em casos de inflamações de bexiga e pedras nos rins ou bexiga, para auxiliar na eliminação de toxinas e melhoria da pele. Flores, folhas e caules apresentam as mesmas propriedades. A Borragem pertence à Família das Boragináceas, é uma planta originária da zona Mediterrânea da Europa e da Ásia menor. O óleo de borragem é um óleo vegetal extraído desta planta e assim como o óleo de Prímula (Oenothera Biennis) constitui-se numa ótima fonte de Ácido Gamalinolênico (GLA) pois possui na sua composição ácidos graxos poliinsaturados. Por ser um ácido graxo essencial, o GLA deve ser necessariamente obtido da alimentação, pois o organismo não é capaz de produzi-lo. A deficiência de ácidos graxos essenciais, nos seres humanos, resulta em condições anormais da pele, tais como dermatites, escamações e ressecamentos; redução na regeneração dos tecidos e aumento da suscetibilidade a infecções. O óleo das sementes da Borragem, rico em Ácido Gamalinolênico (GLA), vem sendo usado com sucesso por mulheres que sofrem de tensão pré-menstrual (TPM) e com os sintomas da menopausa.

 

BUCHINHA-DO-NORTE (Luffa operculata): Usada como descongestinante e laxante. Indicada em casos de herpes e sinusite, neste último caso na forma de inalação. Deve ser usada com muita cautela na gravidez e amamentação.

 

         

 


Camomila (Matricaria chamomilla)

C

 

CABELO DE MILHO (Zea mays): Poderoso diurético, regula as funções dos rins e da bexiga, ajudando a eliminar areias e pedras. O chá da planta é conhecido popularmente por ajudar a baixar a pressão e para desintoxicar o sangue. Não se recomenda o uso em casos adiantados de inflamação nos rins ou bexiga. As sementes são altamente nutritivas.

 

CAJUEIRO (Anacardium occidentale): Rico em taninos, é adstringente e antiinflamatório. Estimulante do organismo, ajuda a combater o diabetes e é anti-hemorrágico. Em gargarejos e bochechos, alivia inflamações da garganta e aftas.

 

CALÊNDULA (Calendula officinalis): Suas folhas são indicadas principalmente para a pele e como antibiótico, é ainda diurética, combate a diabetes, tem propriedades antiinflamatórias, bactericidas, depurativas e cicatrizantes, além de agir no couro cabeludo tratando as dermatites descamantes.Popularmente é usada também contra reumatismo, furúnculos, cálculos da bexiga e biliar, prisão de ventre, anemia, artrite, gastrite e hemorróidas.

 

CAMOMILA (Matricaria chamomilla): De origem egípcia, apresenta propriedades calmantes e digestivas em casos de inflamações agudas e crônicas da mucosa gastrointestinal. Indicada nas colites e cólicas, apresenta também propriedades antialérgicas e antiinflamatórias, ajudando a reconstituir a flora intestinal. O chá de camomila é muito popular no Brasil por seus efeitos sedativos, antiespasmódicos e emenagogos. É uma planta poderosa como restauradora das forças e do equilíbrio orgânico. Também é muito benéfica e eficaz nas moléstias de pele.

 

CAMU-CAMU (Myrciaria dubia): Nativo das regiões ribeirinhas da Amazônia, o Camu-Camu é a fruta que possui maior concentração de Vitamina C do planeta, chega a fornecer 20 vezes mais vitamina C que a acerola, 100 vezes mais que o limão, podendo conter 5 gramas da vitamina C a cada 100 gramas da fruta, e em comparação com a laranja, possui até 10 vezes mais ferro e 50% a mais de fósforo. Por conter um alto teor de acido ascórbico e ácido cítrico o Camu-camu é um poderoso antioxidante natural e coadjuvante na eliminação de radicais livres proporcionando retardamento no envelhecimento. O uso diário do Camu-Camu ajuda a fortalecer o sistema imunológico, a combater os radicais livres, a promover a vitalidade de pessoas com deficiências orgânicas, fortalecer o sistema nervoso, promover a desintoxicação do organismo e estimular os sistemas cardíaco, respiratório e circulatório.

 

CANA DO BREJO (Costus spicatus): Excelente diurético, ajuda a eliminar pedras na bexiga. O chá é muito usado em casos de diabetes, nefrites e nas inflamações nos rins. Ajuda a combater a arteriosclerose. A raiz em pó serve de cataplasma para hérnias, inchaços e contusões. É muito usada nas picadas de insetos, coceiras, problemas da próstata, nas assaduras e alergias.

 

CANELA (Cinnamomum zeylanicum): Planta aromática, estimulante da circulação. Possui ações tônicas, carminativas, antiespasmódicas, emenagogas e anti-sépticas. Também é muito usada no tratamento de gripes, resfriados e dores abdominais. Deve ser usada com cautela e não é recomendada para grávidas, pois provoca a contração de músculos e do útero.

 

CÂNFORA (Artemisia camphorata): A infusão das folhas é usada em casos de fraqueza. É benéfica para o fígado e intestinos, usada como calmante e em casos de enjoos e excesso de gases. O óleo ou álcool dre cânfora é usado para aliviar dores reumáticas e nevralgias.

 

CAPIM CIDRÃO (Cymbopogon citratus): Planta sedativa, analgésica e antitérmica, promove uma diminuição da atividade motora e aumenta o tempo de sono. O chá ajuda a controlar as desordens nervosas. O uso é comprovado nas dispepsias, flatulências e cólicas.

 

CARAMBOLA (Averhoa carambola): Ótimo diurético, ajuda a eliminar pedras nos rins e na bexiga, combate febres e ameniza o diabetes..

 

CARALUMA (Caralluma fimbriata):Na Índia a Caralluma Fimbriata, um cactus suculento e comestível que pertence à família das Asclepiadáceas é usado como um alimento inibidor da fome e da sede. Nesta região, a planta foi usada durante séculos pelos povos nativos para enganar a fome durante as longas jornadas para caçar. Por essa razão ficou conhecida como “comida da fome”. Compostos extraídos desse cacto indiano de uso milenar interferem na sensação de saciedade, suprimindo o apetite. São substâncias que simulam a ação do neuropeptídio Y, que, presente naturalmente no nosso cérebro, é responsável pelo aumento da saciedade. Os estudos realizados com o extrato daCaralluma fimbriata indicam que com esta ação, a redução no apetite é de no mínimo 30%. A Caralluma fimbriata quando ingerida bloqueia a atividade de várias enzimas responsáveis pela formação de gordura forçando o organismo a queimar a gordura armazenada. A Caralluma também funciona controlando o mecanismo cerebral responsável pelo apetite, o que faz com que a pessoa tenha a sensação de estômago cheio. Além disso, a Caralluma Fimbriata é um suplemento natural que ajuda a melhorar os níveis energéticos do organismo.

 

CARAPIÁ (Dorstennia arifolia): Depurativo, estimulante digestivo e age contra anemia. A raiz é empregada como cataplasma para apressar a cicatrização de ossos fraturados.

 

CARDAMOMO (Elettaria subulatu; cardamomum): Tem efeito digestivo, anti-séptico, diurético, laxante e expectorante. Usada popularmente para eliminar a H. pylori, a bactéria associada a úlceras. No Oriente, ganhou a fama de ser afrodisíaco. A semente dessa planta da família do gengibre, de folhas grandes e flores brancas, era mascada pelos egípcios para refrescar o hálito e limpar os dentes. Especiaria aromática de sabor adocicado, refrescante e picante, o cardamomo vem de uma planta de 1,50 metro de altura originária de Malabar, no sudoeste da Índia. Ele chegou à Europa por meio das rotas de exploração do Oriente e era cultivado nos mosteiros durante a Idade Média. Suas sementes eram usadas na fabricação de uma massa doce que os monges mascavam como chiclete. Os frutos do cardamomo contêm cápsulas alongadas ou redondas que protegem cerca de 20 sementes. É uma das especiarias mais caras, depois do açafrão e da baunilha, e amplamente utilizada nas cozinhas indiana, árabe e chinesa. Os melhores frutos são os provenientes da Índia e da Guatemala.

 

CARDO MARIANO (Silybum milkthistle, Silybum marianum): Também conhecida como silybum e cardo-de-santa-maria, é utilizada há milênios pelos povos da Ásia como diurética, tônica e regeneradora das células hepáticas e estimulante das funções biliares. É usada tradicionalmente no tratamento das doenças do fígado, cirrose e vesícula e também na desintoxicação e regeneração hepática, nos casos de alcoolismo e dependência química.

 

CARDO SANTO (Cirsium vulgare, Cnicus benedictus): Em doses moderadas é tônica e favorece as funções digestivas. Indicado em problemas gástricos, indigestão, asma e catarro nos brônquios. Antigamente a planta era chamada “refúgio dos doentes” e “tesouro dos pobres”, pois era usada como uma panacéia, desde para aliviar dores de cabeça até para estimular a memória.

 

CARQUEJA (Baccharis trimera): A carqueja é usada para ajudar a combater problemas do fígado e vesícula biliar como cálculos (pedras.), para problemas digestivos, úlcera, gastrite e má-digestão. Acredita-se que carqueja ajude a purificar e desintoxicar o sangue e fígado. Com efeito diurético, é conhecida por auxiliar no emagrecimento e no controle da diabetes.Também conhecida como cacaia-amarga ou tiririca-de-balaio, é uma planta medicinal amplamente utilizada no Brasil, que exerce ação benéfica sobre o fígado, estômago e intestinos. A planta é considerada hepatoprotetora, ou seja, protege o fígado contra a ação nociva de bebidas, medicamentos ou alimentos em excesso. Além disso, a carqueja é famosa por exercer ação diurética, purificando e eliminando toxinas, sendo muito utilizada em distúrbios dos rins e bexiga e no combate à gota e ao reumatismo.

 

CÁRTAMO (Carthamus tinctorius): Originário da Índia, o cártamo é uma planta com altos teores de óleos (cerca de 40%) em suas sementes, especialmente em ácidos oléico e linoléico, responsáveis pela intensificação da utilização de gordura pelo corpo, facilitando o emagrecimento e a definição da musculatura. O óleo de cártamo ainda contém quantidades generosas de ácido linoléico, um ácido graxo essencial da família Omega 6. É uma fonte riquíssima de antioxidantes naturais, entre eles os chamados tocoferóis. As substâncias presentes no óleo de cártamo são excelentes auxiliares no processo de emagrecimento, ajudam a reduzir o colesterol, prevenir a celulite, dar energia, aumentar a imunidade, moderar o apetite, além de ajudar na tonificação da musculatura.

 

CARVÃO VEGETAL (Carbo activatus): O carvão vegetal é utilizado desde o antigo Egito com fins medicinais. Por ser altamente absorvente, é empregado na eliminação de toxinas, em casos de envenenamento ou intoxicação. Por sua rapidez na ação era utilizado pelos índios em picadas de cobras e aranhas. Uso interno e externo.

 

CASCARA SAGRADA (Rhamnus purshiana): É uma planta pertencente à Família das Rhamnáceas, com excelentes propriedades medicinais. O nome popular "sagrada" surgiu em razão de suas grandes características curativas. A Cáscara sagrada é usada principalmente para corrigir problemas intestinais, com a grande vantagem de não provocar cólicas nem diarréia. Seu uso não exerce apenas uma ação laxativa, mas restabelece o tônus natural do cólon. Após a ingestão da cáscara sagrada ocorre a liberação de substâncias que ajudam a eliminar o material fecal.
É provavelmente uma das plantas medicinais mais populares nos Estados Unidos. As principais ações da Cáscara Sagrada na medicina popular são: a estimulação e ação peristáltica do cólon e da produção de secreções digestivas em vários órgãos do aparelho digestivo. Ela é usada popularmente como prevenção no uso de laxantes, mas não é recomendada em situações de dores abdominais, vômitos, obstrução intestinal, apendicite e doenças inflamatórias do cólon, crianças com menos de 10 anos, e em casos de desidratação grave.

 

CASTANHA DA INDIA: (Aesculus hippocastanum): Excelente tônico circulatório, ajuda a amenizar as dores nas pernas e a ativar a circulação, prevenindo acidentes vasculares.

 

CATUABA (Erytroxylon catuaba): Afrodisíaco e tonificante, contém um alcalóide semelhante a atropina, que opera lentamente, dando energia ao organismo. Indicado em casos de fadiga ou impotência sexual.

 

CAVALINHA (Equisetum arvensis): Possui propriedades antiinflamatórias, adstringentes e revitalizantes. Indicada como auxiliar no tratamento de problemas do aparelho genital-urinário, e também na menstruação excessiva. É benéfica para os brônquios, limpando secreções dos pulmões e do sangue. Ajuda a repôr o silício perdido nas dietas de emagrecimento.

 

CENTELHA ASIÁTICA (Centella asiatica): A planta é antibacteriana, anti-inflamatória, estimulante circulatório e diurética. Estudos têm indicado também uma ação ansiolítica (controla a ansiedade). Também tem propriedades antioxidantes, ajudando a proteger o organismo da ação danosa dos radicais livres. Contém como princípios ativos triterpenos (asiaticosidos e ácido asiático) que ajudam a aumentar a oxigenação e a atividade circulatória em nível do tecido conjuntivo. Ela atua na biossíntese do colagéno, normalizando a produção de fibras colagênicas, eliminando a fibrose responsável pelo armazenamento de água e acúmulo de gorduras. Diminui e ajuda a combater a celulite, produzindo uma ação anti-inflamatória. Por isso é tão indicada para terapias de emagrecimento e da pele.

 

CHÁ (Camellia sinensis): Pode ser consumido em várias versões, as mais conhecidas são; chá verde, chá branco, chá vermelho e chá amarelo. Rico em substâncias que favorecem o bem-estar do organismo é considerado pelos orientais um elixir natural com inúmeras propriedades. O chá é originário do sudoeste asiático, sendo comum seu cultivo em países tropicais. contém elevadas concentrações de antioxidantes que evitam a ação dos radicais livres e promovem uma ação revigorante no organismo, agindo como ativador do metabolismo (efeito termogênico) auxiliando na redução de peso, desintoxicante e facilitador do processo digestivo além de fornecer vitaminas ao organismo.

 

CHAPÉU DE COURO (Equinodorus macrophyllus): Depurativo muito conhecido nos tratamentos de pele, tem efeito laxativo e estimulante da bílis. Pela ação nos rins e fígado, ajuda a reduzir o ácido úrico e o reumatismo. Pesquisas demonstraram que o extrato aquoso tem atividade contra o agente causador da doença de Chagas. Em uso externo, é usado em banhos contra úlceras da pele.

 

CIMICIFUGA (Cimicifuga racemosa): Atua no tratamento dos sintomas neurovegetativos relacionados ao climatério, tais como calorões, suores noturnos, nervosismo, dores de cabeça e palpitações cardíacas. Possui efeito semelhante ao estrógeno no organismo, sendo conhecida como um fitohormônio.

 

CIPÓ CABELUDO (Mikania hirsutissima): Indicado em cólicas menstruais, nefrites, reumatismo e inflamações da bexiga. Suas folhas possuem óleo essencial, taninos, saponinas, resina e sais minerais. A planta é muito usada na prevenção da artrite.

 

CIPÓ MIL HOMENS (Aristolochia brasiliensis): Estimulante dos rins, fígado e baço, ajuda a amenizar cólicas intestinais e a febre. Tem ação emenagoga, por isso não é indicado na gravidez. Popularmente é usada contra picadas de cobras, aplicando-se a planta moída sobre o ferimento.

 

CONFREI (Symphytum officinalis): Planta cicatrizante, que não é recomendada para uso interno, pois contém princípios tóxicos. A infusão forte deve ser usado em compressas, para tratar irritações e espinhas na pele. Ajuda na cicatrização de queimaduras e feridas.

 

COPAÍBA (Copaifera officinalis): Extraído da árvore copaíba, planta considerada produtora de um poderoso antibiótico e anti-inflamatório natural, o óleo da copaíba apresenta propriedades regeneradoras, nutritivas e tônicas, capazes de restaurar e fortalecer os sistemas digestivo, intestinal, respiratório, circulatório e imunológico. É um ótimo antimicrobiano, além de diurético. Rico em beta-cariofileno, substância com comprovação científica na farmacopéia como anti-inflamatória e protetora da mucosa gástrica.

 

CORDÃO DE FRADE (Leonotis nepetaefolia): Ótimo diurético, o chá ameniza dores de estômago e o xarope é indicado para tosse e problemas respiratórios.

 

CRAVO DA INDIA (Syzygium aromaticum): Excitante e aromático, conhecido por aliviar problemas bucais e facilitar a menstruação. O comércio desses botões secos de flores que não desabrocharam permaneceu sob monopólio de portugueses e holandeses durante séculos, até que um diplomata francês chamado Poivre furtou sementes da planta em 1769 e ampliou sua oferta no mercado. Na Idade Média, o cravo custava quatro vezes mais que a noz-moscada, que já era bem cara! O cravo da índia era utilizado para mascarar o sabor de alimentos estragados e condimentar uma infinidade de receitas, numa época em que as especiarias eram muito valorizadas. Com propriedades bactericidas, atribuídas a um elemento do seu óleo essencial chamado eugenol, é usado em chás caseiros para combater resfriados e dores de garganta. É usado também contra cólicas digestivas, gases e diarréia.

 


Dente de Leão
(Taraxacum officinale)

D

 

DAMIANA (Turnera aphrodisiaca): Usada em casos de alcoolismo, anorexia, asma, bronquite, desordens respiratórias, depressão, dispepsias, desinterias, problemas dos rins e bexiga, dores de cabeça e como próprio nome sugere, na impotência sexual, como afrodisíaco e nos problemas da libido.

 

DENTE DE LEÃO (Taraxacum officinale): Tônico hepático, diurético e depurativo do sangue, age no fígado e nos rins. É indicado também para diabéticos. Consumido em saladas, sucos ou chás é antiescorbútico, antiácido e laxante.

 

DOURADINHA (Waltheria douradinha): Diurético, é indicado nas inflamações da bexiga e ajuda a eliminar pedras. Usa-se em todas os problemas pulmonares, bronquite e tosse.

 

 

         

 

(Maytenus ilicifolia)

 

E

 

EMBAÚBA (Cecropia palmata): Poderoso diurético, que ameniza a pressão e regula as batidas do coração. Não é recomendado o uso contínuo.

 

ENDRO (Anethum graveolens): É usado popularmente para combater enjôo, irritação e inflamações da garganta. Combate gases e cólicas.

 

EQUINÁCEA (Equinacea angustifólia): Considerada antibiótica e antiinflamatória, possui mais de 20 óleos essenciais. Possui terpenos (pentadecadieno), substâncias com possíveis propriedades oncolíticas (bloqueiam e destroem muitas células cancerígenas), equinacosídeo (que possui efeito antibiótico sobre estafilococos) e fungicida (destrói os fungos).

 

ERVA BALEEIRA (Cordia verbanacea): Indígenas brasileiros utilizavam esta planta como um poderoso antiinflamatório. Ainda hoje, a medicina popular se rende aos poderes da erva-baleeira, especialmente nas comunidades litorâneas, onde ela é usada na forma de pomada, extrato ou folhas maceradas para curar ferimentos provocados por acidentes com peixes nas pescarias. Especula-se, inclusive, que o nome "baleeira" seja inspirado justamente nesta associação com o uso da planta por pescadores e por ser abundante nas regiões litorâneas. Seu uso popular é largo e variado: é usada contra artrite, reumatismo, artrose, contusões e em todo tipo de inflamação, inclusive na forma de bochechos para aliviar dores de dente e tratar inflamações bucais. Além disso, é indicada contra úlceras. Seus poderes como cicatrizante e antiinflamatória é que fizeram a fama desta planta. Em algumas regiões, as folhas da erva-baleeira são cozidas e aplicadas sobre feridas para acelerar a cicatrização.

 

ERVA DE BICHO (Polygonum acre, hydropiper): A planta seca é usada no preparo de compressas e infusões. É hemostática, depurativa, adstringente e diurética. Amplamente empregada no Brasil contra reumatismo e ferimentos. Tem a fama de amenizar hemorragias, hemorróidas e varizes. Tem fama de melhorar o desempenho cerebral e o raciocínio. Não deve ser usada por mulheres grávidas.

 

ERVA CIDREIRA (Lippia alba): O chá relaxa o sistema nervoso, induz ao sono e acalma as emoções. Ajuda nas cólicas, espasmos e gases. Possui propriedades digestivas. Indicada nas taquicardias e depressões, alívio das dores de cabeça e da pressão alta.

 

ERVA DOCE (Pimpinella anisum): A semente da erva-doce favorece as secreções salivares, gástricas e a lactação. É indicado em dispepsias nervosas, enxaquecas de origem digestiva, cólicas infantis, deficiências cardiovasculares (palpitações e angina), asma, espasmos brônquicos. Popularmente é muito conhecida por ajudar a aumentar o leite materno. Ajuda a acalmar cólicas menstruais e gases intestinais. O infuso das sementes acalma a excitação nervosa e insônia. Evitar o uso prolongado, pois pode causar intoxicação e confusão mental.

 

ERVA SANTA MARIA (Chenopodium ambrosioides): As folhas secas afugentam insetos caseiros. Pode ser usada como vermífugo e tônico digestivo. Popularmente é usada contra hemorróidas, varizes, para facilitar a menstruação, a circulação e combater doenças nervosas. Sua infusão e tintura aliviam bronquite e tosse.

 

ERVA DE SÃO JOÃO (Hiperycum perforatum): Ver "Hipérico" na letra H.

 

ERVA MATE (Ilex paraguayensis): Indicada como estimulante dos vervos, digestiva, auxiliar nas afecções dos rins e bexiga, reumatismo e dispepsias. Laxativa. Em função da caféina, é estimulante da atividade cerebral, combate o cansaço. Sua infusão é ótima auxiliar nos regimes de emagrecimento.

 

ESPINHEIRA SANTA (Maytenus ilicifolia): Na medicina popular a planta espinheira-santa é famosa no combate à úlcera e outros problemas estomacais como gases, má digestão, gastrite crônica e azia, males dos rins e fígado.
As folhas, frescas ou secas, são utilizadas no preparo de infusões para uso interno e externo. O efeito cicatrizante também pode ser observado como auxiliar no tratamento de problemas da pele, como acnes, feridas e eczemas. O uso mais comum da Espinheira Santa é como auxiliar no tratamento de gastrites e úlceras gástricas e duodenais. A indicação popular do chá feito das folhas da Espinheira Santa foi comprovada cientificamente por vários pesquisadores (Carlini & Bráz, 1988; Faleiros et al., 1992; Ferreira et al., 1996; e Carvalho et al., 1997).Seu uso é indicado para combater as fermentações anormais do intestino, normalizando as funções gastrointestinais, é ainda antisséptica e cicatrizante. No final da década de 80, a Central de Medicamentos (Ceme) divulgou um estudo oficial em que comprova as propriedades terapêuticas desta erva. Os índios brasileiros a empregavam no tratamento de tumores – o que pode ter dado origem a nomes populares como “erva cancerosa”. Seu efeito cicatrizante também é observado sobre afecções da pele.

 

EUCALIPTO AROMÁTICO (Eucaliptus globulus): Poderoso aintiséptico, é indicado para uso em inalações, para problemas pulmonares, bronquite, asma e inflamações da garganta. O óleo essencial de sua folhas é famoso por suas propriedades germicidas. Usado também nas dores musculares e reumatismo. A casca da árvore ou o chá das folhas é usado para combater gripes e resfriados.

 

 


Funcho (Foeniculum vulgare)

 

F

 

FÁFIA (Pfaffia paniculata): Popularmente conhecida como ginseng brasileiro, tem uma longa lista de indicações medicinais. É tida como rejuvenescedora, revitalizante e inibidora de tumores. Seria, ainda, estimulante das funções sexuais e agente de combate ao stress.

 

FEIJÃO BRANCO (Phaseolus vulgaris): Recentemente, cientistas de todo o mundo começaram a investigar a faseolamina, uma substância extraída a partir do Feijão Branco. A Faseolamina tem como propriedade inibir a atividade da enzima alfa-amilase humana que é responsável pela transformação do amido (carboidrato) ingerido, em glicose. Essa enzima, presente na saliva e liberada pelo pâncreas no intestino, atua após a alimentação, durante o processo de digestão, quebrando os amidos ingeridos e convertendo-os nos açúcares da circulação sangüínea, o que irá causar o aumento da glicemia (taxa de açúcar no sangue). Com a inibição da enzima alfa-amilase, os amidos não conseguem ser digeridos e são enviados diretamente ao intestino para sua eliminação através das fezes. Esse mecanismo apresenta uma alternativa segura para as dietas de emagrecimento e para diabéticos que precisam diminuir a quantidade de açúcar circulante.

 

FOLIA MAGRA (Cordia ecalyculata Vell; salicifolia): Também conhecida como chá-de-bugre, cafezinho e cafá-do-mato, a Pholia Magra, é uma planta nativa do Brasil que tem alcançado fama mundial por ajudar a combater a obesidade. Estudos indicam que esta planta medicinal da farmacopéia brasileira pode atuar no sistema nervoso central, causando uma atividade supressora do apetite, contribuindo, ainda, para uma maior queima de gorduras localizadas principalmente do abdômen, além de atuar também como estimulante no sistema imunológico. Princípios constituintes da Pholia Magra ajudam a evitar o depósito de gorduras na parede das artérias coronarianas, diminuindo os riscos de problemas cardíacos. Em razão dos seus constituintes (alantoína, cafeína, potássio, tanino e óleos essenciais) age também como diurético, contribuindo para a redução dos depósitos de celulite, pois, estimula a circulação e possui ação energética por seu efeito termogênico. Estudos realizados em laboratório revelaram que a planta apresenta baixa toxicidade e uma de suas maiores vantagens é que pode ser um coadjuvante natural para auxiliar no tratamento da obesidade, sem os efeitos indesejáveis que os outros produtos para emagrecimento causam. A Pholia Magra é muito conhecida nos Estados Unidos, para onde tem sido exportada como a erva anti-barriga.

 

FUCUS - alga - (Fucus vesiculosos): É uma alga castanha, extremamente abundante nos rochedos das costas do Atlântico, Pacífico e mar do Norte. Muito utilizada no século XVIII para o tratamento da asma e das doenças de pele. Os anglo-saxões dos litorais utilizavam-no na alimentação. A planta possui ação estimulante da tireóide, é diurética, depurativa do sangue e complemento mineral. Pela riqueza em elementos que absorve do seu meio natural e que são transferidos para o organismo humano, é usado como complemento alimentar. Pelo seu teor de iodo estimula a tireóide, ajudando a regularizar a produção de hormônio tireotrofina e acelerar o metabolismo de glicose e ácidos graxos. Por essa razão é muito utilizado como auxiliar no tratamento da obesidade. Também pela ativação do metabolismo e pela presença de mucilagens, ajuda a promover um aumento do trânsito intestinal, possuindo ainda ligeira ação diurética. Como fitocosmético é utilizado no tratamento da celulite. O uso é contra-indicado para pessoas com hipersensibilidade ao iodo, com hipertireoidismo, problemas cardíacos gravidez e lactação.

 

FUNCHO (Foeniculum vulgare): Indicado contra a azia, bronquite, cólicas, gases, dispepsias, diarréia, problemas do fígado, estômago e rins. A infusão é útil nos problemas oculares e conjuntivite. O anetol, o composto que lhe dá o cheiro e sabor característicos, é considerado estimulante das funções digestivas. Em concentrações elevadas os óleos essenciais do funcho apresentam atividade inseticida.

 

FIGUEIRA (Ficus carica): Indicada em casos de prisão de ventr, esgotamento físico, faringite, bronquite e tosse. Em uso externo combate feridas, furúnculos e alergias.

 

 

         

 

Ginkgo biloba (Ginkgo biloba)

 

G

 

GARCÍNIA CAMBOGIA (GarcinIa cambogia): É uma fruta exótica nativa do Sul da índia, que tem sido usada para dar um sabor peculiar à culinária indiana. O extrato da Garcinia cambogia é obtido pela extração da água do fruto. Não apresenta toxicidade e tem sido uma alternativa bem efetiva para controlar a obesidade e o colesterol, inibindo a lipogênese no corpo. Seu uso é recente no Ocidente, mas a planta tem sido usada por centenas de anos no Oriente como um suplemento alimentar. A Garcínia cambogia é utilizada como um inibidor de apetite e também para bloquear a absorção e síntese da gordura, reduzir os níveis do mau colesterol e dos triglicérides. Trata-se de um ótimo recurso dietético e auxiliar na perda de peso. A Garcinia cambogia tem despertado muito interesse por sua capacidade de reduzir o apetite e a vontade comer doces. O ácido hidroxicítrico é o principal componente encontrado na derme do fruto. Ele é responsável pelas propriedades saciantes da planta.

 

GARRA DO DIABO (Harpagophytum procumbens): É uma planta que tem sido usada tradicionalmente como antiinflamatória, especialmente no tratamento da artrite reumatóide (inflamação de articulação), artrose, bursite, fibromialgia, dores musculares dos esportistas e tendinite. A garra do diabo pertence, junto do Ginkgo biloba, ao grupo de plantas medicinais mais vendidas no mundo. Usada também nas dores musculares.

 

GENCIANA (Gentiana lutea): Estimulante digestivo, depurativa, indicada na falta de apetite, anorexia, problemas gastrointestinais. Na medicina popular é usada como antitérmica e vermífuga. É contra indicado em casos de úlcera gástrica.

 

GENGIBRE (Zingiber officinalis): Estimulante gastrointestinal, é ainda um bom anti-inflamatório que apresenta resultados contra o reumatismo e artrites. O gengibre tem muitos usos na medicina popular, principalmente em razão de suas propriedades estimulantes e carminativas. É ingerido para combater doenças respiratórias e problemas da garganta. Descobriu-se também que é eficaz contra enjôos de viagem e no tratamento da ressaca.

 

GERGELIM (Sesamum indicum): Ajuda a combater o esgotamento nervoso e mental, ameniza o stress e a perda de memória. É usado popularmente para combater a depressão, taquicardia e ansiedade. Trata-se de excelente complemento nutricional.

 

GINKGO (Ginkgo biloba): Árvore considerada um fóssil vivo, ancestral do carvalho, é mencionada nos escritos chineses de 2800 anos A.C. e considerada sagrada no Oriente. Tem ação preventiva e curativa na oxidação das células e no envelhecimento. Estimulante da circulação, atribui-se a ela a propriedade de diminuir a hiperagregação plaquetária, evitando tromboses. Indicado ainda contra tonturas, zumbido no ouvido, artrite e cansaço nas pernas. A planta Ginkgo biloba é conhecida por seus poderes nos casos de micro-varizes, além de ser excelente para a memória. Popularmente é usada como antioxidante natural, pois ajuda a prevenir o envelhecimento precoce. É considerada estimulante da circulação sangüínea, por favorecer a circulação arterial, venosa e capilar. Utilizada em casos de vertigem, labirintite, deficiências auditivas, perda de memória e dificuldade de concentração.

 

GINSENG COREANO (Panax ginseng): Estimulante e energético, é considerada um tônico sexual e afrodisíaca. Pode elevar a pressão arterial, por isso não é recomendada para hipertensos.

 

GRÃO DE BICO (Cicer arientinum): Tônico para a memória, é considerado afrodisíaco. É um alimento bom para os diabéticos, pois suas fibras solúveis ajudam a controlar as taxas de açúcar; ajuda a manter a pressão e o colesterol sob controle, combate a anemia e favorece o bom funcionamento do intestino.

 

GRAVIOLA (Anona muricata): O chá das folhas é considerado emagrecedor, ajuda a diminuir o colesterol e baixar a pressão. Popularmente é indicado nos casos de diabete. O chá das folhas da graviola é usado popularmente para facilitar a digestão, combater gases, insônia e enxaqueca. As etnias da América do Sul e Central utilizam a graviola há séculos no combate e controle de vários problemas, entre eles, diarréias, tosse, asma, astenia e hipertensão. Pesquisas recentes, realizadas nos EUA por mais de 20 laboratórios constataram que a graviola contém substâncias anticancerígenas e citotóxicas.

 

GUACO (Mikania glomerata): Usada nos males pulmonares, ajuda a limpar os brônquios, auxiliar também nas gripes, resfriados e bronquites, ale, de amenizar inflamações da garganta.

 

GUAÇATONGA (Casearia sylvestris): Também conhecida como chá de bugre. O chá é usado como emagrecedor, diurético, anticolesterol, para diminuir inchaço das pernas e estimular a circulação. Popularmente é usado ta,bem nas doenças da pele, picadas de cobras e aranhas.

 

GUARANÁ (Paullinia cupana): Os índios Maués, da Amazônia, urtilizam o guaraná como um extraordinário estimulante, que dá energia física ao organismo. Deve-se ser usado com cautela, pois contém muita cafeína. Indicado em casos de cansaço, esgotamento físico e mental e como tônico sexual.

 

GUINÉ (Petiveria alliacea): Em razão de sua toxicidade, seu uso se restringe a aplicações externas contra dores nas articulações e reumáticas.

 

 

         

 


Hibisco (Hibiscus sabdariffa)

 

H

 

HAMAMELIS (Hamamelis virginiana): Contendo essencialmente tanino, tem ação adstringente e vasocostritora, diminui as secreções e ativa a circulação. Muito utilizada como shampoos, por ativar a circulação e evitar a queda de cabelos.

 

HELIOTRÓPIO (Heliotropium europaetum): Antisséptico, cicatrizante e atenuador da febre, é usado popularmente para cicatrizar feridas, ativar a menstruação e estimular o funcionamento da vesícula biliar.

 

HIBISCO (Hibiscus sabdariffa): Flor avermelhada, com sabor agradável e azedinho, semelhante ao morango, tem efeito laxante suave, melhora a digestão, aumenta a diurese e acalma os nervos. O hibisco tem sido utilizado nos regimes de emagrecimentos como auxiliar nos tratamentos de obesidade. Na medicina popular é usado como anti-espasmódico, anti-inflamatório, redutor da hipertensão, antioxidante natural, afrodisíaco, diurético, laxante suave e auxiliar nas dietas de emagrecimento. Também há indicações de seu uso popular para combater problemas respiratórios, bronquites, gripes e resfriados, gastrite e afecções da pele. O chá obtido a partir do cálice da flor contém polissacarídeos em boas quantidades, além de conter também concentrações elevadas de flavonóides - reconhecidos como protetores contra os radicais livres. Rico em cálcio, magnésio e ferro e nas vitaminas A e C, o hibiscus contém também fitoquímicos, altos teores de antocianinas, ácido tartárico, málico, cítrico e hibístico, fitosteróis, além de quantidade significativa de fibras alimentares. Como emagrecedor, o chá de hibiscus ajuda a estimular o metabolismo e a reduzir o colesterol ruim. Além disso, auxilia na redução das taxas de lipídios e glicose totais no sangue, colaborando na prevenção do desenvolvimento do diabetes tipo 2. A ação diurética do hibiscus é também útil no combate à retenção de líquidos e à celulite.

 

HIPÉRICO (Hiperycum perforatum): Também conhecido como erva de são joão. Famoso calmante e anti-depressivo, também é anti-inflamatório e cicatrizante. Utilizado em depressões moderadas, nunca em depressões severas. Combate a agitação do sono e distúrbios nervosos.

 

HORTELÃ-PIMENTA (Mentha piperita): Antisséptica, expectorante, indicada para estafa, dores abdominais, alivia nevralgias, ajuda na respiração e auxilia no combate a gripes e tosses. Muito útil na culinária como tempero e aromatizante.

 

 


Inhame (Colacasia esculenta)

 

I

 

IPÊ ROXO (Tabebuia impetiginosa): Considerado uma espécie de antibiótico natural, ficou famoso por suas propriedades analgésicas e anticoagulante. É ainda indicado em casos de bronquite, asma e arteriosclerose. O ipê-roxo é tido como um poderoso auxiliar no combate a determinados tipos de tumores cancerígenos. É usado também como analgésico e como auxiliar no tratamento de doenças estomacais e da pele. No passado, foi largamente utilizado no tratamento da sífilis. A árvore do ipê-roxo é alta e tem como característica as flores tubulares arroxeadas. A substância com propriedades terapêuticas é encontrada na casca.

 

INHAME (Colacasia esculenta): É um dos alimentos medicinais mais valiosos que se conhece, pois favorece a limpeza das impurezas do sangue, dos rins e intestinos, ajudando a fortalecer o sistema imunológico. Acredita-se que aumenta a fertilidade das mulheres, sendo um alimento regulador. O inhame cru é conhecido por ser um fabuloso anti-anêmico.

 

 

         

 

Jaborandi (Pilocarpus jaborandi)

 

J

 

JABORANDI (Pilocarpus jaborandi): Tem como princípio ativo o alcalóide Pilocarpina, que age nas glândulas salivares e sudoríferas. Estimula as secreções gástricas, por isso é um ótimo digestivo. Seu princípio ativo já é largamente usado pela indústria de medicamentos no tratamento do glaucoma. Era utilizado no passado para aguçar o faro de cães de caça. Também indicado no tratamento de doenças do aparelho respiratório. Vários xampus trazem o jaborandi em sua fórmula, tido como um poderoso aliado na luta contra a queda de cabelo. Há anos, a planta vem sendo extraída em grandes quantidades para uso de laboratórios estrangeiros. Suas folhas são usadas nas afecções ruemáticas, artrite, gota, hipertensão arterial e no tratamento de desordens respiratórias.

 

JAMBOLÃO (Syzygium jambolanium): As folhas são consideradas adstringentes e auxiliar nos casos de diabetes. Os frutos do jambolão também apresentam alta atividade antioxidante e também, ação hipoglicemiante.

 

JASMIM (Jasminum officinalis): O famoso chá preparado com as flores de jasmim é muito consumido no Extremo Oriente. Na época da China Imperial, era bebida exclusiva dos nobres da corte. Suas propriedades medicinais são muito conhecidas por aliviar o estresse; diminuir a ansiedade, a tensão e a exaustão nervosa. Ajuda a combater os sintomas da depressão, é excelente calmante e favorece um sono tranqüilo. Em compressas, auxilia no tratamento da conjuntivite e problemas da pele. Na medicina popular é usado para aliviar dores de cabeça e enxaqueca.

 

JATOBÁ (Hymenaea courbaril): A casca e a resina são usadas em afecções das vias respiratórias, vias urinárias e do aparelho digestivo. São indicadas também em casos de bronquite, asma, tosse, coqueluche, laringite, inflamação da bexiga e próstata, cistite e flatulência. Famoso no tratamento contra hemorróidas, fraqueza geral e contra vermes.

 

JUÁ (Solanum viarum): A casca é utilizada como dentifrício, os frutos são calmantes dos nervos e da azia. A raiz é diurética, ajuda a emagrecer, melhora as funções do fígado e bexiga.

 

JURUBEBA (Solanum paniculatum): Estimulante das funções digestivas, do fígado e baço. Indicado em casos de insuficiência hepática e prisão de ventre. O seu suco é diurético e tônico, usado contra problemas da bexiga, inflamações do baço e icterícia. Também é indicado popularmente contra erisipelas e abcessos. O chá tem uma indicação muito antiga para combater o amarelão e a hepatite.

 

 

         

 


Kava-Kava ou Kawa-Kawa
(Piper methysticuma)

 

K

 

KAVA-KAVA (Piper methysticum): Planta pertencente à Família das Piperáceas, tem sido utilizada há mais de 3 mil anos no tratamento de doenças e em rituais religiosos, em razão de suas propriedades sedativas e relaxantes. A Kava Kava ou Kawa Kawa tem sido reconhecida como uma planta de grande utilidade no tratamento de estados de tensão nervosa, ansiedade agitação e insônia. Os princípios ativos da Kawa Kawa - as kavalactonas - estão sendo estudados cientificamente e os resultado apontam para o fato de que possuem efeito relaxante muscular. Popularmente, a Kava Kava é tida como um ansiolítico natural. Na medicina popular é usada contra dores de cabeça, enxaqueca, resfriados e reumatismo.

 

 


Laranja Amarga (Citrus aurantium)

 

L

 

LARANJA AMARGA (Citrus aurantium): Usada contra gripes e resfriados, pois é depurativo e sudorífico, tem vitaminas e sais minerais. Citrus aurantium, conhecida popularmente como laranja-amarga, apresenta propriedades que a permite se ligar a receptores encontrados no tecido gorduroso, ativando o metabolismo e a queima de gordura sem interferir no sistema cardiovascular. Apresenta também propriedades digestivas, melhorando a absorção dos nutrientes e protegendo o estômago. A laranja tem em sua casca a pectina, um carboidrato que ingerido com líquido transforma-se em gel e seu volume gera saciedade. Pela sua capacidade de solubilidade, a pectina forma um gel no intestino, dificultando a taxa de absorção de carboidratos, lipídios e colesterol em excesso. Evidências clínicas e alguns estudos demonstram que determinados tipos de laranja, como a Citrus aurantium, podem acelerar o metabolismo, promovendo assim um maior gasto de calorias; como conseqüência, pode ocorrer a queima de estoques de gordura e a diminuição de algumas medidas. Muitas pessoas hoje buscam alternativas extraídas da natureza para auxiliar no emagrecimento. E algumas substâncias naturais, como as fibras de laranja, são aliadas para equilibrar nossa dieta porque podem auxiliar no funcionamento do intestino e, em alguns casos, causar maior saciedade.

 

LINHAÇA (Linum usitatissimum): Estudos indicam que a linhaça ajuda a evitar os sintomas da menopausa e prevenir contra os tumores de mama e de ovário. A lignana, presente na linhaça, tem se mostrado útil ao ajudar a restabelecer o equilíbrio hormonal durante a menopausa. O óleo de linhaça é conhecido por ser a principal fonte de ômega 3, ômega 6, ômega 9 e vitamina E. A carência destes nutrientes no organismo pode enfraquecer o sistema imunológico, aumentar o risco de doenças cardíacas, além de agravar processos inflamatórios. O óleo de linhaça é conhecido como um antiinflamatório natural do organismo. Pesquisadores também acreditam que o óleo de linhaça pode acelerar a taxa de metabolismo do corpo e ajudar a queimar gorduras mais rapidamente.

 

LÍNGUA DE VACA (Plantago major): Alivia a dor em feridas, combate a inflamação e ajuda na cicatrização. Tem ação tônica e age nos casos de erupções cutâneas, blenorragia e coceiras.

 

LOURO (Laurus nobilis): Usado contra má digestão e ressaca alcoólica, doenças de fígado e estômago. O chá é usado contra cólicas menstruais, para combater o cansaço e o reumatismo.

 

LOSNA (Artemisia absinthum): Amargo estimulante gástrico, aumenta o apetite e é considerado afrodisíaco. Mas em doses altas pode se tornar um psicoestimulante. Indicado contra doenças nervosas e falta de apetite.

 

LÚPULO -FLOR (Humulus lupulus): Digestivo e estimulante das funções hepáticas, com propriedades tônicas e estimulantes, ativa a secreção salivar, biliar e gástrica em casos de dispepsias. Muito utilizado em hepatite crônica e aguda. Atua como antiespasmódico (diminui a cólica), além de aumentar e favorecer o fluxo biliar, sendo indicado em casos de distúrbios da função digestiva e em queixas suaves do trato gastrintestinal (má digestão, gases, intolerância à gordura). As flores femininas da planta são usadas na fabricação da cerveja.

 

 

         

 


Melissa (Melissa officinalis)

 

M

 

MAÇÃ (Malus domestica): A fibra de maçã é rica em pectina, uma fibra solúvel que facilita a digestão das gorduras e proteínas, além de ajudar a regular a absorção dos açúcares, diminuindo a sensação de fome e o acúmulo de gorduras. Ao melhorar a eficiência do metabolismo, faz com que o organismo queime calorias de um modo mais eficiente. A maçã fornece vitaminas, minerais, aminoácidos, enzimas e outros nutrientes importantes para a saúde. É auxiliar para o bom funcionamento do fígado, o que ajuda na desintoxicação do organismo e na digestão dos alimentos gordurosos. As fibras absorvem água, contribuem para o bom trabalho do intestino e para a redução dos níveis de colesterol. O alto teor de potássio contido na polpa da maçã é excelente para combater o sódio, responsável pela retenção de líquidos no organismo.

 

MACA PERUANA (Lepidium meyenii): Conhecida como "ginseng dos andes" e "viagra dos incas", a planta é tradicionalmente considerada um tônico poderoso capaz de melhorar o desempemho generalizado do organismo. Na medicina popular é usada para aliviar os sintomas da menopausa, para problemas de fertilidade e potência sexual, para o cansaço mental, a falta de energia em adultos e idosos. A Nasa tem utilizado a raiz da maca em pó como parte integrante da nutrição de seus astronautas.
É considerada uma planta adaptógena, isto é, fortalece as defesas do organismo, melhora o funcionamentondo cérebro e dá energia extra, pois tem ação tônica e revigorante.

 

MACELA (Achyzocline satureoides): Planta aromática com inflorescências usadas em travesseiros com finalidades calmantes. Em chá é indicado para acalmar cólicas abdominais. Também conhecida como macela ou marcelinha do campo, é usada na medicina popular para tatar problemas gástricos e digestivos, males do pâncreas e da vesícula, colites, inapetência, desinterias, distúrbios menstruais, enjôos, náuseas e vômitos. Também são conhecidos seus poderes como sedativa e analgésica. Externamente é usada para acalmar reumatismos e dores musculares. Estudos realizados por vários centros de pesquisas em alguns países americanos têm confirmado várias destas indicações. Experimentos em ratos comprovaram efeitos analgésicos, anti-inflamatório (a população do sul do Brasil costuma fazer gargarejo com flores de macela para inflamação de garganta) e relaxante muscular. Estudos in vitro demonstraram que a planta possui atividade contra alguns moluscos e alguns microorganismos como Salmonella, E. coli, e Staphylococcus, comprovando em parte o motivo de ser empregada para o controle da diarréia, disenteria e outras infecções. Recentemente demonstrou-se que a macela possui ação colerética, auxiliando na diminuição do colesterol e até mesmo da agregação plaquetária. Mas o que tem mais chamado a atenção de alguns pesquisadores são as propriedades estudadas como antiviral, antitumoral e imunoestimulante. Experimentos realizados indicaram que o extrato das flores inibiu o crescimento de células cancerosas in vitro em até 67%, mostrando um grande potencial para a elaboração de medicamentos para esta finalidade.

 

MALVA (Malva sylvestris): Indicada para problemas respiratórios, favorece a cicatrização e processos gastrointestinais, com benefícios à pele. A malva é usada popularmente como expectorante, emoliente, diurética e calmante. Indicada para problemas da garganta, dos brônquios e inflamações dentárias, Funciona como suavizante nas picadas de insetos e irritações da pele. As malváceas compreendem quase mil espécies, que se distribuem dos trópicos ao ártico. O nome da família vem do grego "malake"ou suave, uma vez que a planta é conhecida por acalmar.

 

MAMICA DE CADELA (Zanthoxylon rhoifolium): Indicado contra problemas de pele, contra picadas de insetos e cobras.

 

MANÁ CUBIU (Solanum sessiflorum): Originário da Amazônia, é um fruto rico em fibras, fósforo, vitamina C, pectina e possui elevada concentração de Niacina (Vitamina B3), três vezes maior que a berinjela e doze vezes que a beterraba. A vitamina B3 é essencial para o funcionamento do sistema nervoso e para o bom desempenho das funções cerebrais, além de promover benefícios para a pele, auxilia na redução da taxa de colesterol, dos triglicérides e dos níveis de glicemia no sangue. Ainda contribui para um sistema digestivo saudável e no alívio de perturbações gastrointestinais.

 

MANJERICÃO (Ocimum basilicum): O chá das folhas é excitante, estimulante, digestivo, evita a formação de gases, anri-febril, diurético e anti-reumático. Também é usado para regularizar o ciclo menstrual.

 

MARACUJÁ (Passiflora alata): Conhecido por sua ação tranquilizante, antiespasmódica e diurética. Indicado em dores de cabeça de origem nervosa, ansiedade, perturbações nervosas. Contra-indicado em pressão baixa. Recentemente, a medicina popular também descobriu que a fibra da casca do maracujá é rica em pectina (fibra solúvel), um poderoso aliado no combate e controle dos níveis altos de glicemia. É considerado o alimento amigo dos diabéticos. Popularmente, a fibra do maracujá tem sido usada para auxiliar em regimes de emagrecimento e reduzir as taxas de colesterol e glicemia. A fibra do maracujá, rica em pectina, ao ser ingerida forma um gel, dificultando a absorção de carboidratos. Ela funciona como um bloqueador de gordura. A fibra do maracujá é rica em fósforo, que é fonte de renovação celular, cálcio, ferro e vitamina B3. Já foi comprovado seu efeito emagrecedor e sua capacidade de proteger o coração e baixar as taxas de açúcar no sangue. Foi realizado um estudo na Universidade Federal da Paraíba, com 17 mulheres com colesterol alto. Após 70 dias consumindo a fibra do maracujá, elas reduziram as taxas de colesterol ruim e eliminaram até 8 quilos..

 

MARAPUAMA (Ptychopetalum olacoides): Planta de origem amazônica, é considerada energética e afrodisíaca. Seu alcalóide tem ação estimulante do sistema nervoso central, é usada como anti-depressivo e indicada em casos de esgotamento físico, falta de libido e impotência sexual.

 

MASTRUÇO (Lepidium sativum): Depurativo muito empregado em doenças pulmonares, como pneumonia, bronquite e raquitismo. Alivia hematomas e feridas. As folhas são usadas em cataplamas para aliar sinusite.

 

MELISSA (Melissa officinalis): Calmante e sedativa, induz ao sono. Indicada em crises nervosas, taquicardia, histerismo e depressão. O chá é usado como antiácido e tônico. A melissa faz parte da composição de licores e da água de melissa. Conhecida também como erva-cidreira verdadeira, a melissaé usada popularmente para diminuir gases e cólicas, estimular a transpiração, como um excelente calmante e sedativo, é digestiva, age contra a insônia, enxaqueca, tensão nervosa, ansiedade e ajuda nos casos de traumatismo emocional.

 

MIL FOLHAS (Aquilea millefolium): Também conhecida como "novalgina", é uma das ervas mais importantes da farmacopéia. O chá é bom para baixar febre, aliviar dores, reumatismo, varizes, insônia, pressão alta, má circulação, males do estômago e fígado. A infusão forte transformada em cubos de gelo, pode ser aplicada sobre hemorróidas. Em temperatura morna, a infusã é usada em banhos de assento contra problemas ginecológicos.

 

MIL HOMENS (Aristolochia triangularis): Planta usada nas afecções cutâneas, problemas circulatórios, dormências e formigamentos, eczemas, frieira, feridas, cistite e anorexia. Tem fama de ajudar a tratar doençss venéreas.

 

MULUNGU (Erytrina verna): Calmante poderoso, analgésico e muito usado em manipulação, contra pressão alta. Também indicado contra insônia e ansiedade.

 

 


Nó-de-cachorro
(
Heteropteris aphrodisiaca)

 

N

 

NÓ DE CACHORRO (Heteropteris aphrodisiaca): Revigorante físico e mental, é usado tradicionalmente como afrodisíaco e estimulante sexual. Indicada para ajudar a regularizar as funções do organismo como um todo. Popularmente é também utilizada para prevenir úlceras, combater a perda de memória e a fadiga. É considerada uma planta adaptógena, isto é, fortalece as defesas do organismo, melhora o funcionamento do cérebro e dá energia extra pois tem ação tônica e revigorante.

 

NOGUEIRA (Juglans regia): A nogueira é uma árvore da Família Juglandaceae, nativa da Europa e da Ásia. Também conhecida como nogueira-do-Ceilão, noz, noz caucasiana, nogueira de iguape e nogueira-da-Índia. Suas folhas são ricas em um óleo aromático.O chá de nogueira é usado popularmente para tratar problemas relacionados ao útero, bexiga, ovários, além de ser auxiliar contra anemia, angina, artritismo, diabetes, gota, hemorróidas e reumatismo. Na medicina popular é indicada como afrodisíaca, calmante dos nervos e vermífuga. Externamente, a planta é usada para tratar feridas e erupções cutâneas.

 

NONI (Morinda citrifolia): É uma planta originaria do sudoeste da Ásia, rica em carboidratos, vitaminas e minerais e que foi levada para as Ilhas da Polinésia há mais de 2 mil anos. Atualmente está sendo cultivada e produzida na América Central e no Brasil, com plantação intensiva no estado de Roraima. Popularmente é usada como tônico sexual, anti-diabética, analgésica e hipotensora. A medicina popular, em especial no Tahaiti, utiliza o Noni também para combater a insônia, a falta de energia, o cansaço e o stress, a dificuldade de concentração, as desordens digestivas e os efeitos do tabagismo.

 

NOZ DE COLA (Sterculia acuminata): Indicada popularmente contra o desgaste físico e mental, stress, depressão, melancolia e anorexia.

 

NOZ MOSCADA (Myristica fragans): Digestiva e anti-reumática, muito utilizada contra pressão alta.

 

 


Oliveira
(
Olea europaea)

 

O

 

OLIVEIRA (Olea europaea): Planta de origem mediterrânea, é amplamente cultivada em Portugal, Espanha e outros países da Europa. Considerada uma poderosa aliada da saúde, suas folhas contém elevadas concentrações de antioxidantes e minerais como potássio, magnésio, manganês, fósforo, selênio, cobre e zinco, que evitam a ação dos radicais livres promovendo uma ação revigorante no organismo. Outro benefício das folhas da oliveira é que melhoram o aspecto da pele, prevenindo contra o envelhecimento, além estimular o metabolismo a eliminar gordura (efeito termogênico), auxiliando na redução de peso e dietas para emagrecimento.

 

ORÉGANO (Origanum vulgare): Ótimo tempero culinário, é ainda estimulante das funções gástricas e biliares, sedativo e expectorante, indicado para resfriados, dores de garganta (gargarejos) e sua infusão alivia cólicas, é indicada no tratamento da tosse, dores de cabeça de origem nervosa.

 

 

         

 


Pimenta (Capsicum frutescens)

 

P

 

PALMA CHRISTY(Ricinus comunis): Famoso laxante de onde se origina o óleo de rícino.

 

PARIETÁRIA (Parietária officinalis): Muito usada em males dos rins, inflamações da bexiga, dissolve cálculos e alivia dores.

 

PARIPAROBA (Piper umbellatum): Polivalente, age contra resfriados e asma e também contra os males do figado e baço, aliviando azia, úlceras e hemorróidas. Mastigar a raiz alivia dor de dente.

 

PATA DE VACA (Bauhinia forficata): Popularmente indicado na diabetes, como auxiliar na redução do colesterol, em dietas de emagrecimento. A planta é diurética, usada também para problemas do fígado, intestinos, estômago e principalmente dos rins.

 

PAU TENENTE (Quassia amara): Também conhecida como quina, quassia, quassia da jamaica, pau amargo, pau de surinã . Usada como tônico hepático, estimulante do aparelho digestivo, auxiliar no tratamento de cólicas hepáticas, para dietas de emagrecimento, distúrbios gastrointestinais, má digestão, eliminação de parasitas intestinais.

 

PEDRA UME CAÁ (Myrcia sphaerocarpa): De origem amazônica, goza da fama de “insulina vegetal”, empregada no tratamento da diabetes, para ajudar a baixar a taxa de açúcar e colesterol, tratar aftas, em dietas para emagrecimento, problemas renais, hemorróidas, distúrbios do útero e ovários.

 

PHYSALIS (Physalis angulata): Pertence àfamília das Solanáceas, a mesma do tomate, da batata, do pimentão e das pimentas e é originária da Amazônica e dos Andes. Rica em vitaminas A, C, fósforo e ferro, além de alcalóides e flavonóides, na medicina popular é conhecida por purificar o sangue, fortalecer o sistema imunológico, aliviar dores de garganta e ajudar a diminuir as taxas de colesterol. A população nativa da Amazônia utiliza os frutos, folhas e raízes no combate à diabetes, reumatismo, doenças da pele, bexiga, rins e fígado. A planta tem sido estudada também por fornecer um poderoso instrumento para controlar o sistema de defesa do organismo, diminuindo a rejeição em transplantes e atacando alergias. Pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) da Bahia identificaram substâncias com esse potencial na Physalis angulata e já solicitaram patente sobre o uso delas. Testadas por enquanto em camundongos, espera-se que as fisalinas (chamadas de B, F e G) tenham um efeito tão bom quanto o das substâncias usadas hoje para controlar o sistema imune, mas com menos efeitos colaterais, quando forem usadas em pacientes humanos.

 

PICÃO PRETO (Bidens pilosa): Usada popularmente contra alergias, amidalites, anti-séptico bucal, asma, boca amarga, bronquite, catarros, colesterol, gastrenterite, hepatite, icterícia, indigestão, infecções do estômago e rins, infecções urinária e vaginal, intoxicação alimentar, pâncreas, úlceras gastroduodenais.

 

PIMENTA (Capsicum frutescens): Além de ativar a digestão e o metabolismo, estimula a circulação e combate a gota.

 

PITANGUEIRA (Stenocalys michelli): Muito utilizada contra diarréia em crianças, bronquite, febre e ainda abaixa a pressão. É calmante infantil e bom para os nervos.

 

POEJO (Mentha pylegium): Bom para gripes e resfriados, no tratamento da bronquite, asma e tosse, rouquidão afecções gástricas. Digestivo, evita a formação de gases intestinais. Funciona como repelente de insetos e como suavizante nas picadas de mosquitos e pulgas.

 

PORANGABA (Casearia sylvestris): Conhecida por ser diurética, não laxativa, depurativa, por ajudar na eliminação de toxinas, do excesso de líquido e ativar o metabolismo. Por essa razão é muito utilizada como auxiliar nas dietas de emagrecimento. Popularmente é indicada para diminuir o colesterol, reduzir o inchaço das pernas e estimular a circulação.

 

PRIMULA (Oenothera biennis): O segredo do óleo da prímula está nos ácidos graxos poliinsaturados, presentes na sua composição, que não são produzidos naturalmente pelo organismo e precisam ser obtidos na dieta. Deles o mais importante é o chamado ácido gamalinolênico (GLA). Além de fazer parte da estrutura das membranas celulares, o GLA origina a prostaglandina E1, uma substância que ajuda a equilibrar os hormônios femininos, diminuindo os impactos da TPM, afirmam os pesquisadores.

 

PSYLLIUM (Plantago psyllium L., sin.: Plantago ovatae): O Psyllium age como um laxativo mecânico suave, emoliente e demulcente. É indicado em casos de obstipação crônica, coadjuvante da evacuação intestinal em casos de hemorróidas, gravidez, convalescença, períodos pós-operatórios e senelidade. Também em colites e diverticulites. Popularmente é indicado como complemento em dietas de emagrecimento, tendo em visto que sua ingestão antes das refeições favorece a um aumento na sensação de saciedade, bem como liga-se a moléculas de carboidratos simples impedindo sua absorção a nível intestinal. Foi estudado por RIGAUD et al. (1998) em relação aos seus efeitos sobre a saciedade em dietas de baixa caloria. No estudo verificou-se que pelo fato de ocorrer um aumento na viscosidade do alimento quando em contato com as fibras solúveis do Psyllium, reduz-se consequentemente a interação entre os nutrientes dos alimentos e as enzimas digestivas, e com isto também ocorre um retardamento na absorção de alguns substratos energéticos pelo intestino.

 

PULMONÁRIA (Pulmonaria officinalis): Como diz seu nome é indicado nas doenças do pulmão, é um eficiente expectorante, misturado com mel de abelhas. Facilita a respiração. Indicado a pessoas que trabalham com poluentes.

 

 

         

 


Quebra-pedra
(
Phyllanthus niruri )

 

Q

 

QUÁSSIA (Quassia amara): Considerada um tônico estomacal e vermífugo, aperitivo e digestivo. Sua casca é usada para amenizar todo tipo de problema digestivo.

 

QUEBRA PEDRA (Phyllantus niruri): Famoso por sua ação diurética, é conhecida popularmente por auxiliar no controle da glicemia, ser antibactericida. Sua atuação no fígado está sendo estudada largamente para usada contra a hepatite tipo B. Ajuda a dissolver cálculos renais, promover a desobstrução da uretra e a eliminação do ácido úrico. Contra indicado na gravidez.

 

QUINA-QUINA (Chincona sp): De origem andina esta árvore possui raizes e cascas contendo o quinino, um alcalóide que permite agir como anti-séptico e adstringente. Indicada para gripe, febre, em casos de malária e anemias. Usada popularmente para estimular as funções intestinais, gástricas e hepáticas.

 

 

         

 


Romã
(
Punica granatum)

 

R

 

RABANETE (Raphanus sativus): Usado como vermífugo, expectorante e estimulante. Facilita a digestão e previne contra cálculos renais.

 

ROMÃ (Punica granatum): A medicina popular utiliza as cascas da romã como adstringente, contra inflamações de garganta e cólicas. Ajuda a eliminar vermes e lombrigas.

 

 

         

 


Salsa (Petroselium sativum)

 

S

 

SABUGUEIRO (Sambucus nigra): Poderoso sudorífero nos processos gripais, resfriados, tosse, sarampo e caxumba. Elimina o ácido úrico, calculos renais e toxinas do sangue.

 

SALVIA (Salvia officinalis): Erva hipoglicemiante, que não é tão amarga como outras e ainda tem ação antiséptica, adstrigente e estimulante. Usada como desodorante, tem a capacidade de fechar os poros e reter a sudorese. A inalação com as folhas é usada contra a sinusite. O chá de sálvia é auxiliar da digestão, ajuda a tratar gengivas inflamadas, aftas, dores e garganta e problemas das mucosas. A planta é anti-séptica e fungicida. Popularmente é usada para controlar diabetes e sintomas da menopausa, tonificar o fígado, aliviar problemas dos ovários, combater a icterícia, tremores e vertigens. O chá das folhas de sálvia também é eficaz no tratamento da sinusite, usado na forma de inalações.
Em latim, a palavra sálvia tinha o significado de "salvar" e há milênios era considerada capaz de curar todas as enfermidades. Na Idade Média, ela passu a ser usada para tratar prisão de ventre e problemas estomacais. É contra-indicada em gravidez e lactação.

 

SALSA (Petroselium sativum): Usa-se a planta toda por infusão no combate à cistite, nefrite, inflamação da urera, icterícia, hidropsia, menstruação difícil, cólicas e problemas uterinos. Combate gases intestinais, estimula o apetite, facilita a digestão. O chá é indicado para limoar os brônquios e também como diurético útil especialmente nos casos de gota.

 

SALSSAPARILHA (Smilax salsaparrilha): Depurativo do sangue, é usada como diurética, para combater a gota, ácido úrico e artrite e reumatismo. Ajuda a diminuir a dificuldade em urinar e a eliminar pedras nos rins e bexiga. Externamente é usada para lavar eczemas. Em doses elevadas pode provocar náuseas.

 

SÂNDALO (Santalum album): Usado contra problemas de pele, como acne e ressecamento. A medicina popular indica para tratar bronquite e cistite. Povos antigos usavam para escurecer os cabelos castanhos, hidratar e limpar a pele.

 

SAW PALMETO (Serenoa repens): É uma planta indicada popularmente para o tratamento do aumento da próstata. Ajuda no alívio das inflamações e infecções do trato urinário.

 

SETE SANGRIAS (Cuphea carthagenensis; sin.: Cuphea balsamona): Tem efeito sedativo do sistema nervoso central . É usada como auxiliar no tratamento da arteriosclerose, hipertensão e palpitações no coração. Popularmente é usada para tratar doenças venéreas e afecções da pele. Não é aconselhado uso para crianças.

 

SPIRULINA (Spirulina maxima): É um tipo de alga que cresce em águas alcalinas ricas em minerais. Trata-se de uma fonte natural de proteínas e vitaminas. Rica em clorofila, carotenóides e pigmentos azuis, é uma das maiores fontes vegetais de vitaminas B12 - especialmente indicada para evitar a anemia provocada por uma dieta desbalanceada. Auxilia na desintoxicação do organismo, age como supressor de apetite em razão da presença relativamente alta de fenilalanina, que atua sobre o centro do apetite. Sendo, por essa razão, usada em regimes de emagrecimento, sem causar danos ao organismo. Além de funcionar como excelente aliada na dieta dos atletas, evita câimbras e fadiga muscular, repondo cálcio, vitaminas e sais minerais. É conhecida também por ajudar a combater o stress, restaurar o sistema nervoso e agir como antioxidante, retardando o envelhecimento. A spirulina é digerida com aproximadamente 70% de facilidade. Contém 18 dos 22 aminoácidos essenciais. A proteína da Spirulina é 95% digestível, comparada às fontes de proteína das carnes, que são geralmente difíceis para o corpo digerir.

 

SUCUPIRA (Bowdichia virgilioides, sin.: Bowdichia major; Pterodon pubescens e Pterogyne nitens):Sucupira é o nome popular dado à várias árvores brasileiras, entre elas, Bowdichia virgilioides. O chá de Sucupira é popularmente indicado para problemas nas articulações, dores na coluna, artrite, artrose, no combate a úlceras, gastrites, ácido úrico, aftas, amigdalite, dermatoses, auxiliar no controle da diabetes e contra vermes intestinais. Atualmente estão sendo realizadas várias pesquisas para atestar seus efeitos anticancerígenos. A planta é famosa também no combate às inflamações do útero e ovários.

 

 

         

 


Tribulus (Tribulus terrestris)

 

T

 

TANACETO (Tanacetum vulgare; sin.: Tanacetum parthenium): É conhecida e utilizada desde a antiguidade, para diversas finalidades: baixar a febre, problemas menstruais, artrite, dor de cabeça, dor de dente, asma, dor de estômago e mordidas de insetos. Sua principal utilização é contra a enxaqueca, aliviando os sintomas da dor, tonturas, zumbidos no ouvido, tensão pré-menstrual (TPM) e flatulência, diminuindo náuseas e vômitos que geralmente acompanham as crises.

 

TANCHAGEM (Plantago major): Pode agir como bactericida sobre as vias respiratórias em casos de inflamações, destruindo microorganismos e limpando secreções. Indicada também em casos de diarréias e hemorragias pós-parto. O suco das folhas pode ser usado em bochechos para acelerar a cicatrização da gengiva em casos de cirurgia e extrações de dentes. O emplasto da planta mecera ajuda a combater inflamações.

 

TÍLIA (Tilia cordata): Árvore sagrada das antigas civilizações germânicas. Sudorífica, descongestionante e relaxante é indicada em casos de febres, resfriados, bronquite, tosse e dores estomacais. Alivia a dor de cabeça, enxaqueca e tensões nervosas. Usada em casos de nervosismo e ansiedade. A flor e a casca apresentam efeito levemente hipotensor e vasoldilatador.

 

TOMATE (Licopersicon esculentum): Trata-se de um alimento de grande valor nutricional, além de conter substâncias capazes de auxilar no combate a problemas reumáticos e do fígado. Externamente é útil nas afecções da pele. É um ótimo revigorante para o organismo, purificador do sangue e por ser rico em licopeno, torna-se um antioxidante poderoso no combate aos radicais livres. O licopeno apresenta alto poder antioxidante, elevando a capacidade de defesa do organismo contra os danos causados pelos radicais livres (substâncias altamente reativas, produzidas normalmente no organismo que, em excesso, provocam doenças e envelhecimento precoce).

 

TOMILHO (Thymus vulgaris): Possui propriedades anti-sépticas, antiespasmódicas, carminativas e vermífugas. É uma planta digestiva e estimulante, muito utilizada na culinária. Auxiliar em casos de falta de apetite e também nos problemas respiratórios. Popularmente é usada para combater parasitas (especialmente tenia ou solitária) e como repelente de pulgas e piolhos.

 

TRIBULUS (Tribulus terrestris): É usada contra problemas urinários, pedras nos rins e vertigens. Além disso, credita-se a esta planta propriedades afrodisíacas e úteis em casos de impotência sexual. Popularmente ela é conhecida também como cabeça-de-gato, espinho-do-diabo e erva-daninha-do-diabo. O uso popular relata sucesso no tratamento de infertilidade nas mulheres, impotência nos homens e aumento da libido em ambos os sexos.

 

TRIGO (Triticum spp.): O germen de trigo representa aproximadamente 2% do grão de trigo e nesta pequena porção está concentrada uma riqueza impressionante de nutrientes, sendo considerada a maior fonte de vitamina E da natureza. O alto teor de vitamina E, excelente antioxidante, contido no óleo contribui para estabilizá-lo, isto é, impedir a combinação do oxigênio com os ácidos graxos presentes. Por esta razão é considerado um alimento de alto valor biológico para a saúde.

 

 

         

 


Unha-de-gato (Uncaria tomentosa)

 

U

 

UMBU (Spondias tuberosa): No Brasil colonial era chamado de ambu, imbu, ombu, corruptelas da palavra tupi-guarani "y-mb-u", que significava "árvore-que-dá-de-beber". Pela importância de suas raízes foi chamada "árvore sagrada do Sertão" por Euclides da Cunha. Usado como anti-febril. Fonte de vitamina C, contribui para o fortalecimento do sistema imunológico.

 

UNHA DE GATO (Uncaria tomentosa): A unha-de-gato é usada contra artrite, reumatismo, herpes e gastrite. Algumas referências citam que os indígenas da região Amazônica utilizam a unha-de-gato há séculos, principalmente para tratar problemas gastrointestinais e como agente anti-inflamatório. A unha-de-gato é considerada um poderoso anti-inflamatório natural, usada contra gripes e viroses. A planta é usada para fortalecer o sistema imunológico e também como recurso no tratamento de tumores. O chá de unha-de-gato, associado à outra erva - o uxi-amarelo - ficou conhecido por ser utilizado no tratamento de miomas do útero.

 

URUCUM (Bixa orellana): Planta da flora brasileira, as sementes do urucum são ricas em carotenóides e ácidos-graxos, se destacando como importante e segura fonte de vitamina A, substância essencial em muitos processos fisiológicos do organismo. Em gargarejos ajuda a tratar faringite e amigdalite. Externamente, na forma de lavagens e compressas, combate problemas cutâneos, erupções, queimaduras leves e celulite.

 

URTIGA (Urtica dioica): Utilizada no passado na indústria têxtil, foi descoberta como medicamento no início do século 20. De ação vasocostritora e depurativa, a urtiga é revitalizante, hipoglicemiante e tônico capilar. Ajuda a melhorar a circulação sanguínea. Pode provocar irritações na pele ao contato. Não é recomendável utilizar as sementes.

 

UVA (Vitis vinifera): Uma das fontes mais ricas de bioflavonóides ativos, chamados "proantocianidinas", que são compostos vasoativos com comprovada ação antioxidante e de proteção das células contra os radicais livres. Além disso, as proantocianidinas apresentam uma afinidade particular com o colágeno, proteína essencial na formação dos tecidos conjuntivos, especialmente na pele, tendões, ligamentos e cartilagens, assim como na parede interna dos vasos sanguíneos. Atua principalmente como antioxidante, sendo indicado para a proteção das células contra os radicais livres, auxiliando na redução do colesterol, prevenindo a aterosclerose, os distúrbios circulatórios e o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O antioxidante no extrato de semente de uva trabalha para ajudar a controlar danos celulares, buscando neutralizar mutações dentro dos materiais genéricos das células que podem gerar a formação de tumores. A semente de uva também é rica em carboidratos, vitaminas do Complexo B e Vitamina C.

 

UVA URSI (Arctostaphylos urva ursi): Também conhecida como uva ursina. Em razão da presença da hidroquinona que tem propriedades antibacterianas, anti-séptica e antibiótica, é indicada em casos de inflamações renais e diarréias. Os nativos americanos combinavam as folhas secas de uva-ursi com folhas de tabaco e fumavam-nas como narcóticos ou para acalmar dores de cabeça. Era habitual ainda prepararem tônicos e infusões diuréticas para tratamento de infecções nas vias urinárias, doenças venéreas, dores de costas, e excesso de peso. Não se recomenda usar na gravidez ou lactação.

 

UXI AMARELO (Endopleura uchi): Usado popularmente contra miomas uterinos, irregularidade menstrual, ovários policísticos, infeccões urinárias. O chá de uxi-amarelo, associado à outra erva - a unha-de-gato - ficou conhecido por ser utilizado no tratamento de miomas do útero

 

 

         

 


Valeriana (Valeriana officinalis)

 

V

 

VALERIANA (Valeriana officinalis): É uma planta de história milenar usada contra ansiedade, angústia, leves desequilíbrios do sistema nervoso, esgotamento e insônia. É especialmente útil para pessoas hiperativas que não conseguem relaxar. A medicina popular utiliza esta planta como um sedativo natural em situações e stress e nervosismo, por suas propriedades relaxantes e calmantes. Usada popularmente para atenuar a irritabilidade nervosa, a ansiedade e a cefaléia de origem nervosa. Externamente é usada na cicatrização de feridas.

 

VELAME DO CAMPO (Croton campestris): Conhecido depurativos do sangue, usado contra reumatismo artrite, afecções da pele, eczemas e coceiras.

 

VERBASCO (Buddleja brasiliensis): Popularmente também chamado barbasco, barbasco-do-brasil, barrasco, calça-de-velho. Usado nos problemas pulmonares, como expectorante nas tosses com catarro, bronquite e asma. É cicatrizante tópico nas hemorróidas.

 

VERBENA (Verbena officinalis): Indicada contra doenças do fígado e do estômago.

 

VERÔNICA (Veronica officinalis): Inapetência, peso no estômago, enxaquecas de origem digestiva causadas por má digestão. Usa-se para lavar os eczemas, acalmar pruridos e suavizar pele ressecada pelo frio.

 

VULNERÁRIA (Anthyllis vulneraria): Depurativa e cicatrizante, sua infusãoé usada popularmentepara lavar feridas, chagas e úlceras de difícil cicatrização, escoriações e contusões. 

 

 

         

 


Yacón (Polymnia sonchifolia)

 

Y

 

YACÓN (Polymnia sonchifolia): Originário dos Andes, é indicado popularmente para o tratamento da diabete e do colesterol. A planta Yacón está sendo considerada atualmente um alimento nutracêutico, em razão dos estudos realizados sobre a diminuição dos níveis de açúcar no sangue, após consumo regular da planta. Além disso, a planta possui propriedades antioxidantes, sendo utilizada com sucesso na melhoria da flora intestinal, na redução do colesterol e no controle do diabetes.É consumida desde os tempos pré-colombianos. Segundo especialistas, foi no Japão que as qualidades da oligofrutose da yacón foram descobertas. Os japoneses também descobriram que as folhas usadas no chá, ajudam a evitar picos que o diabético tem quando ingere alimentos açucarados ou com muito amido, que é quando o nível do seu açúcar no sangue aumenta.

 

YAM MEXICANO (Dioscorea villosa L.): O Yam Mexicano ficou famoso por ser considerado um regulador natural dos hormônios femininos. Por sua semelhança de ação com a progesterona, estudos médicos têm descoberto os benefícios do Yam mexicano relacionados à TPM, menopausa e à osteoporose. Povos nativos da América Central utilizavam o yam mexicano para amenizar as cólicas menstruais. Em 1943, o yam Mexicano atraiu a atenção da comunidade médica quando cientistas extraíram a substância similar ao hormônio feminino progesterona de sua raiz. Foi por essa razão que, até 1970, essa planta foi a única fonte de progesterona usada em pílulas anticoncepcionais. Atualmente essa raiz é usada no tratamento dos sintomas da menopausa e também da artrite. Estudos em animais indicaram que o yam mexicano contém substâncias com propriedades anti-inflamatórias que podem ser auxiliares no tratamento da dor e desconforto associados à artrite e ao reumatismo. Mas a maior parte das pesquisas estão apontando que o yam mexicano pode ajudar a regular os níveis hormonais na mulher, diminuindo a famosas ondas de calor (fogachos), a fadiga e outros sintomas característicos da menopausa.

 

 

         

 


Zedoária (Curcuma zedoaria)

 

Z

 

ZEDOÁRIA (Curcuma zedoaria): A infusão é usada como estimulante, contra gases, mau hálito, gastrite, estomatites, úlceras, hepatite, colesterol, insônia, pulmão, dermatose, tônico. Considerada expectorante, diurética, calmante, colagoga e depurativa do sangue. Usada também para limpar as vias respiratórias e em casos de inflamações da garganta.

 

ZIMBRO (Juniperus communis): As bagas contém glicose e o efeito de aumentar a limpeza dos rins, usado como depurativo para eliminar líquido do organismo, inclusive o excesso de ácido úrico. Popularmente indicado na insuficiência renal crônica, contra cálculos renais, bronquite crônica, reumatismo, psoríase e como sudorífero. Não utilizar durante a gravidez.

 

 

 

 

ATENÇÃO PARA ESTAS DICAS:

· Não se deve misturar mais de duas ervas de cada grupo (diuréticas, digestivas, calmantes, desintoxicantes, emagrecedores), pois ao invés de fazer bem, pode fazer mal à saúde.
· Usadas de forma errada, as ervas podem apresentar grau de toxicidade alto.
· Grávidas e lactantes jamais devem ingerir qualquer chá sem antes consultar seu médico. O mesmo vale para portadores de moléstias graves ou em tratamentos com medicamentos especiais.
· Não é recomendável fazer uso contínuo dos chás, evitando assim transtornos no metabolismo. Chás do tipo laxante, por exemplo, em excesso, podem provocar desidratação. O ideal é tomar por 30 dias, fazer uma pausa de uma semana e voltar a consumir uma outra erva do grupo.

 

 

OUTRAS CONSIDERAÇÕES

Deverão, ainda, ser considerados os seguintes aspectos:

1.- Efeitos adversos

No meio popular acredita-se que, como a planta é natural, se bem não fizer mal não fará. Isto não é verdadeiro. Sabe-se que muitas plantas possuem substâncias de grande toxicidade para o homem e que podem causar a morte, como a estricnina, encontrada na planta Strychnos nux vomica.

Os conhecimentos populares, transmitidos oralmente, necessitam ter comprovação científica que valide a eficácia das plantas e sua segurança. A junção destes dois tipos de conhecimentos promove o progresso no campo da Fitoterapia.

 

2.- Interações

As interações de fitoterápicos com medicamentos sintéticos ou homeopáticos poderão resultar em potencialização de uma determinada ação ou anular o efeito da outra.

Ex.: - plantas ricas em cânfora atuam como antídotos para a ação do medicamento homeopático.

- aspirina tomada com chá de sabugueiro leva a uma potencialização da ação antitérmica, podendo provocar hipotermia grave, sobretudo em crianças abaixo de 1 ano de idade.

Plantas ricas em cumarina podem potencializar a atividade antiagregante plaquetária de alguns medicamentos alopáticos.

 

3.- Contra indicações

3.1. Crianças com até 1 ano de idade: Salvo aquelas plantas reconhecidamente sem efeitos tóxicos e adversos, os fitoterápicos não devem ser usados em crianças com esta idade.

3.2 - Idosos: excluir plantas de ação reconhecidamente hepatotóxicas, nefrotóxicas e hemorrágicas (cumarínicos).

3.3 - Gestantes: Este grupo deve ser objeto de cuidados especiais. Os taninos são abortivos, e a maioria das plantas os contém. As plantas com intenso sabor amargo, como as que contêm quinonas, são abortivas, em sua maioria.

3.4 - Outros grupos a considerar: Nutrizes, diabéticos, portadores de insuficiência renal ou cardíaca.

 

 

 

 

É meu dever informar uma lista de plantas que não devem ser usadas na Gestação e Lactação

Nome botânico

Nome comum

Restrição

Motivo

Aloe vera

Babosa

Gestação

Hemorragia e aborto

Anemopaegma sp  

Catuaba

Gestação

Aborto

Angelica archangelica

Angelica européia 

Gestação

Hemorragia e aborto

Aristolochia sp

Jarrinha

Gestação

Contrações e aborto

Arnica montana

Arnica

Gestação Amamentação

Hemorragia e aborto Vômitos e cólicas

Artemisia absinthium

Losna

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Cólicas e convulsões

Cassia sennae

Sene

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Diarréia no lactente

Cassia tora

Mata pasto

Gestação

Contrações e aborto

Chenopodium ambrosioides

Erva de Stª Maria

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Vômitos e torpor

Coix lacrima-jobi

Lágrimas de N. Sª

Gestação

Contrações

Commiphora myrrha

Mirra

Gestação

Hemorragia e aborto

Copaifera sp

Copaíba

Gestação Amamentação

Teratogenicidade, Cólicas e diarréia

Cynara escolimus

Alcachofra

Amamentação

Redução do leite

Datura estramonium

Trombeta

Gestação

Aborto

Dianthus superbus

Cravo dos jardins

Gestação

Aborto

Elephantopus scaber

Erva grossa

Gestação

Contrações e aborto

Equisetum arvense

Cavalinha

Gestação

Def. de tiamina

Euphorbia pilulífera

Erva andorinha

Gestação

Contrações e aborto

Glycine max

Soja

Amamentação

Redução do leite

Harpagophytum sp

Garra do diabo

Gestação

Retardo do parto

Hedera helix

Hera

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Febre e convulsões

Leonurus sibiricus

Erva macaé

Gestação

Contrações e aborto

Maytenus ilicifolia

Espinheira santa

Amamentação

Redução do leite

Melia azedarach

Azedaraque

Gestação Amamentação

Aborto Vômitos e diarréia

Mentha piperita

Hortelã

Gestação

Teratogenicidade

Mikania glomerata

Guaco

Gestação

Hemorragia

Myristica fragans

Noz moscada

Gestação

Aborto

Paeonia sp

Peônia

Gestação

Teratogenicidade

Phyllantus niruri

Quebra pebra

Gestação Amamentação

Aborto Cólicas e diarréia

Pilocarpus jaborandi

Jaborandi

Gestação

Contrações e aborto

Plantago major

Transagem

Gestação

Contrações

Polygonum acre

Erva de bicho

Gestação

Hemorragia e aborto

Portulaca oleracea

Beldroega

Gestação

Contrações e aborto

Prunus persica

Pessegueiro

Gestação

Aborto

Punica granatum

Romã

Gestação

Contrações e aborto

Ramnus purshiana

Cáscara sagrada

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Cólicas e diarréia

Rheum palmatum

Ruibarbo

Gestação Amamentação

Contrações e aborto Diarréia no lactente

Smilax sp

Salsaparrilha

Gestação

Aborto

Solanum paniculatum

Jurubeba

Gestação

Aborto

Tabebuia sp

Ipê

Gestação

Teratogenicidade

Zanthoxilum sp

Tinguaciba

Gestação

Hemorragia e aborto

 

FONTE -http://www.guiadasplantasmedicinais.comunidades.net/

 

 

 

CHA DE FOLHA DE AMOREIRA.



Chá de folha de amoreira

Chá de folha de amoreira

O chá de folha de amoreira tem imensas propriedades, sendo de destacar a sua eficácia no tratamento de dores musculares, pois possui elevado teor de potássio. É muito útil para atenuar os efeitos da menopausa, como calores, irritação, ansiedade, nervosismo, etc. De salientar que uma grande parte dos chineses usam diariamente este chá. Para fazer o [...]

 

HORTELÃ E SEUS BENEFÍCIOS.



Hortelã, através de suas folhas, aroma, óleo essencial e chá, funciona como um remédio herbal e foi comprovado que ele ajuda a promover a perda de peso. O aroma do hortelã pode ajuda as pessoas a perderem alguns quilos não desejados.

Um estudo da Wheeling Jesuit University acompanhou 27 adultos durante cinco dias e descobriu que aqueles que inalavam o óleo de menta sob seu nariz a cada duas horas consumiam cerca de 350 calorias a menos por dia do que aqueles que não inalavam. Isso também serve para pessoas que mascam folhas de hortelã ou até mesmo mascam chicletes com aroma de hortelã.

O vapor do chá da hortelã por si só já ajuda a aliviar tosse e constipações. A planta possui uma substância conhecida como mentol, que possui um componente antibacteriano que ajuda a combater vírus e bactérias. Em algumas pessoas, o chá de Mentha piperita pode inclusive aliviar dores musculares decorrentes de exercício físico intenso. No entanto, as propriedades do chá de hortelã também incluem vários benefícios, principalmente para o sistema digestivo, vez que a hortelã contém vitaminas do complexo B, cálcio e potássio, que auxiliam na digestão quando o mesmo é tomado após as refeições, além de ser útil para pessoas que estão com ataques de diarreia, cólicas, dores de barriga ou de estomacais. Fazer gargarejos com o chá da erva melhora o hálito e pode ajuda a combater dores de garganta.

Folhas de Hortelã-PimentaO chá de menta ao ser preparado em processo de infusão não perde as propriedades medicinais que estão presentes na folha da hortelã. É uma das bebidas mais nutritivas encontradas dentre todos os chás medicinais. A Hortelã, além de ser extremamente saudável e seguro, tem um aroma e gosto muito agradável, é totalmente isento de cafeína, e o chá da erva pode ser consumido quente ou frio. Um chocolate com um pouco de menta adicionado na sua composição pode ser útil para os chocólatras.

 

Como Fazer o Chá de Hortelã?

Para preparar o conhecido chá de hortelã, separe as folhas da erva medicinal em uma xícara de chá (você também pode aproveitar os talos da hortelã para fazer o chá). Adicione meio litro de água as folhas de hortelã e espere por cerca de 5 a 10 minutos (isso irá variar a consistência do chá). Por fim, adoce o chá com açúcar ou mel a gosto, caso queira. O chá é servido a temperatura ambiente.

Caso queira tomá-lo quente, leve as folhas juntamente com a água até que a água ferva e após isso adoce a gosto. Caso queira tomar gelado, prepare o chá e guarde na geladeira até a hora de servir

 

 

PROPRIEDADES DA BABOSA OU ALOE VERA.



Babosa
O uso da babosa poderá lhe trazer um novo ânimo para viver a vida, reforçando todas as suas defesas imunológicas e dando novo vigor ao seu corpo.
 
Veja alguns motivos para usar a babosa:
 
1. Contribui para a saúde e a higiene da sua boca. Tomar o gel diariamente assegura e permite a manutenção da saúde, fornecendo ao organismo de forma natural estes aminoácidos essenciais.
 
Uma análise da planta de aloe vera demonstrou que nenhuma outra planta conhecida consegue duplicar da mesma forma estes aminoácidos essenciais.
 
2. O gel da babosa inclui vitaminas A, B1, B2, B6, B12, C e E, ácido fólico e niacina. O corpo humano simplesmente não consegue armazenar algumas destas vitaminas. Por esse motivo, é necessária uma suplementação regular através da alimentação. A melhor forma de conseguir isso é beber uma dose diária do gel de aloe vera, construindo de forma natural um sistema de defesa do organismo contra os radicais livres causadores do envelhecimento precoce.
 
3. Ajuda a regular o peso e os níveis de energia, pois auxilia a libertação de toxinas. O gel da aloe vera apresenta na sua composição 12 substâncias naturais que mostraram melhorar a flexibilidade muscular e o bom funcionamento das articulações. A babosa ajuda na manutenção das articulações e na mobilidade muscular.
 
4. A babosa fornece um vasto leque de materiais para a construção e manutenção de uma pele saudável. A pele renova-se a cada 21 a 28 dias. Utilizando os nutrientes do Aloe Vera, a pele poderá combater de uma forma eficaz os efeitos do envelhecimento precoce. Uma dose diária de gel de aloe vera pode ser exatamente o que a sua pele necessita.
 
5. Mantém a elasticidade da pele e os níveis saudáveis de colágeno. Fibroblastos são células que podemos encontrar na pele, que produzem fibras como o colágeno e a elastina. Estas fibras estruturam a pele, dando-lhe um aspecto mais saudável. Quanto mais tiver, mais nova a sua pele permanecerá.
 
A aloe vera estimula os fibroblastos a reproduzirem-se mais rapidamente, produzindo-se assim maior quantidade de fibras, e ajuda a capacidade regeneradora da pele.
 
6. Contribui para a ingestão da dose diária recomendada de sais minerais (cálcio, sódio, ferro, potássio, magnésio, cromo, manganês). Todos sabemos que para manter o bem-estar e a saúde é necessário que o organismo reponha os níveis de minerais, o que é conseguido pela ingestão de alimentos que fazem parte da nossa dieta.
 
Beber aloe vera é uma forma saudável e natural de fornecer minerais ao organismo.
 
7. A babosa estimula o funcionamento intestinal, tem um efeito maravilhoso na estimulação do funcionamento intestinal, melhora o trânsito intestinal e alivia os incômodos associados ao funcionamento do intestino.
 
8. As propriedades anti-inflamatórias atuam reduzindo a inflamação sem potencializar efeitos secundários. A babosa tem uma ação similar à dos esteróides, como a cortisona, porém sem os efeitos nocivos que esta provoca. Por esta razão, pode ser utilizada em todos os transtornos inflamatórios, como a bursite, artrite ou picadas de inseto.
 
9. O consumo diário da babosa permite a ingestão de aminoácidos, essenciais ao bom funcionamento do organismo. Fornece um apoio de forma natural ao sistema imunológico.
 
O nosso sistema imunológico funciona sem parar, protegendo o nosso organismo. A aloe vera, com suas propriedades naturais, dá ao organismo as reservas necessárias para ele utilizar de acordo com as suas necessidades.
 
10. Ajuda a atenuar o ardor e acelera a cicatrização da pele em caso de queimaduras. Como a babosa contém alta quantidade de cálcio e potássio, ela provoca a formação de uma rede de fibras que retém os eritrócitos do sangue, ajudando assim a coagulação e a cicatrização necessária.
 
O cálcio é um elemento muito importante para o bom funcionamento do sistema nervoso e para a ação muscular, sendo um grande catalisador em todo o processo de cicatrização.
 
“Quatro são os alimentos que são indispensáveis para o bem-estar do homem: O trigo, a uva, a oliva e a aloe vera. O primeiro alimenta, o segundo levanta seu ânimo, o terceiro o coloca em harmonia e o quarto o cura.” – Cristóvão Colombo (1451-1506

CHÁ DE ALGODÃO.

 

Cana do Brejo - combate inflamações dos rins, cálculo renal, distúrbio menstrual e muito mais benefícios

http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
cana do brejo  ( Costus spicatus )
A cana do brejo  ( Costus spicatus ) pouco conhecida, ela cresce nos brejos em sua forma possui roseas com bordas brancas, tubulares, por dentro amarelas bracteas cor de carmim, mais nela há substâncias dignas de um verdadeiro remédio, seus Principios Ativos são: matérias pécticas, taninos,ácido oxálico, inulina, a mesma possuiação anti-reumática, diurética, calmante das excitações nervosas e do coração, antidiabética, anti-inflamatória dos rins e bexiga. A erva é indicada nos casos sífilis, inflamações da uretra, nefrite, dores e dificuldade de urinar, uretrite, arteriosclerose, blenorragia, cálculo renal, distúrbio menstrual, inchaço e problemas nos rins .
Receita Medicinal 
Ingredientes:
  • 1 colher ( sopa )  de erva cana do brejo
  • 500ml de água
Modo de Preparo: Leve a água ao fogo e deixe até começar a ferver, em seguida coloque 1 colher (sopa ) da erva cana do brejo e deixe levantar fervura, desligue. Tampe e deixe abafar por 10 minutos. Beba de 1 xícara de 3 a 4 vezes ao dia

Folhas da Goiabeira combate diarréia, regula a menstruação e hemorragia uterina

http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Folhas de goiabeira
Hoje em dia comumente tem se procurado uma maneira eficaz de controlar adiarréia, que pode ser causado pro diversos motivos, mas a principal continua sendo a intoxicação por alimentos. Asfolhas de goiabeira também servem paratratar hemorragia uterina e menstruaçõesmuito fortes .Mas para ajudar nessa questão é muito simples basta seguir as orientações abaixo:

CHÁ DE FOLHAS DE GOIABEIRA


Ingredientes:

  • 45 gramas folhas novas da goiabeira;
  • 1 litro de água;
Modo de Preparo: Agora basta colocar a água para ferver durante 8 minutos , logo após adicione as folhas da goiabeira e deixe no recipiente durante 12 minutos depois disto basta usar por 4 vezes ao dia e o resultado será quase que imediato.


Chá de algodão

 
Descrição:
O algodoeiro é o nome vulgar dado a várias espécies do gênero botânico Gossypium, da família Malvaceae. Existem cerca de 40 espécies arbustivas nativas das regiões subtropicais e tropicais, algumas são utilizadas para a produção da fibra têxtil conhecida como algodão.

Indicação:
O chá de algodoeiro é indicado para hemorragia uterina, menstruações abundantes, afecções dos rins e para o aumento da lactação.

Partes usadas:
Raízes

Como fazer:
Colocar 2 colheres de sopa para um litro de água. Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos, a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso.

Como beber: 
Tomar 1 xícara 3 vezes ao dia.

PROPRIEDADES DO ROMÃ.



 

  

roma-antioxidante

As propriedades medicinais da romã, até há pouco tempo, eram conhecidas apenas pelos interessados em mitologia ou em medicina chinesa antiga. De acordo com o herbário chinês, o suco de romã aumenta a longevidade. No Brasil, atualmente, um chá à base de casca de romã está sendo utilizado pelos seguidores da medicina alternativa como antibiótico natural.
 
A romã é rica em ácidos fenólicos e também em flavonoides, compostos antioxidantes que lhe dão a cor avermelhada. As suas propriedades antioxidantes fazem deste fruto um poderoso protetor contra o câncer e outras doenças.
 
É rica em vitaminas A e E, potássio, ácido fólico e polifenóis, entre os quais se destacam as punicalaginas, principais responsáveis pelas propriedades antioxidantes do sumo, intervenientes na redução de processos inflamatórios (responsáveis pelo envelhecimento celular e pelo aparecimento de doenças coronárias e de alguns tipos de câncer).
 
A romanzeira é conhecida por aumentar a longevidade e ajuda em casos de disenteria, eliminação de toxinas, faringite, gengivite, infecções vaginais por fungos, inflamações da garganta, laringite, pele cansada e sem brilho, sangramento de gengiva, sapinho, verminoses, rouquidão, afecções da boca, garganta e gengivas, prevenção de aftas.
 
Utilidades medicinais
 
Angina da garganta – xarope do suco de romã. Extrair o suco de romã, misturar com mel meio a meio e deixar cozer por uma hora. Tomar uma colher de sopa de três em três horas.
 
Carbúnculo – cataplasmas com as folhas frescas trituradas. Renovar frequentemente.
 
Doenças da garganta – proceder como indicado em angina da garganta. Gargarejo com o decocto das flores secas e pulverizadas. Gargarejo com o suco da romã.
 
Teníase – tomar um copo pequeno de decocto da casca antes de dormir.
 
O chá feito com as folhas de romã é usado na medicina contra irritação nos olhos, e o chá produzido com as cascas dos frutos, para tratamento, na forma de gargarejo, de infecções de garganta. Esse mesmo chá é utilizado no combate às helmintoses
 
As cascas das raízes da romãzeira contêm de 0,6% a 0,7% de alcaloides. Os mais importantes são a peletierina e a pseudopeletierina. Esses alcaloides são os responsáveis pelas propriedades tenífugas da romã.
 
O pericarpo da fruta tem atividade antimicrobiana contraStaphylococcus aureus, Clostridium perfinges e contra o vírus Herpes simplex II, responsável pela manifestação do herpes genital.
 
As cascas do fruto são ricas em taninos elágicos e derivados de ácido gálico, flavonoides glicosilados, antocianinas, entre outros compostos.
 
Protege o coração e abaixa o nível de colesterol. A casca da raiz é usada nas verminoses, como solitária. Para o fruto é usado no caso de bolhas, cólica intestinal, corrimento (leucorreia), diarreia, difteria, digestão difícil, disenteria, furúnculo, enfermidades na garganta, dores de garganta, gastrite, gengivite, gonorreia, hemorragia uterina, pus, menstruações difíceis, rouquidão, sapinho.
 
O fruto é consumido fresco e o suco feito com as sementes é utilizado na fabricação do xarope granadina, usado em condimentos e licores. Como a casca contém 30% de tanino, pode ser usada para curtir couro. Tem propriedades terapêuticas e é usada na medicina popular.
 
A romã é uma fruta antioxidante, mineralizante e refrescante. O consumo de suco de romã ajuda a combater o câncer de próstata e a reduzir as células da doença, segundo um estudo publicado na revista Clinical Cancer Research.
A romã é rica em vitamina A, ajudando a manter a pele bonita e saudável e melhorando a visão.
 
Segundo especialistas, a ingestão frequente de sumo de romã reduz até 30% os riscos de ocorrência de enfarte. A fruta possui propriedades úteis no combate a doenças cardíacas e ao envelhecimento. Sua casca fervida em água serve para gargarejo em casos de infecções na garganta.
 
As sementes de romã, contidas no interior dos pequenos bagos vermelhos, apresentam propriedades fitoestrogénicas úteis na regulação de algumas alterações hormonais e no alívio dos sintomas associados à menopausa.
 
Devido às propriedades antimicrobianas, o seu extrato está sendo utilizado por alguns ginecologistas no tratamento de casos de leucorreia e até mesmo no combate ao vírus do herpes genital.
 
Romã vermelha e amarela
 
Podemos encontrar dois tipos de romã, a vermelha e a amarela. Apesar de ambas serem originárias do Vale do São Francisco, a primeira é uma variedade canadense, enquanto a segunda é nacional. Analisando-se visualmente a fruta, percebe-se na vermelha menor quantidade de sementes, casca mais fina e o mesocarpo (parte carnosa entre a casca e as sementes) maior. Já a amarela tem maior quantidade de sementes, apresenta casca mais grossa e mesocarpo mais fino. O formato dos lóculos (“bolsas”, onde estão armazenadas as sementes) também é diferente. No sabor, parece não haver diferença.

Receitas naturais

Primeiro remédio caseiro contra gripe

Ingredientes:

  • 1 copo (200 ml) de água filtrada
  • Suco de 4 limões
  • 2 dentes de alho descascados
  • Mel a gosto

Como fazer:

  1. No liquidificador, bata a água, o suco de limão e o alho.
  2. Despeje em uma panela, aqueça levemente e adicione o mel.

Posologia:

Beba 1/2 copo (100 ml) 2 vezes ao dia.

Segundo tratamento natural contra gripe e resfriado

Ingredientes:

  • 4 xícaras (chá) de suco puro de laranja
  • 1 xícara (chá) de acerola
  • 3 xícaras (chá) de água mineral
  • Mel a gosto

Como fazer:

  1. No liquidificador coloque todos os ingredientes e bata bem por 2 minutos.
  2. Coe e beba 1 copo (200 ml) a cada 8 horas

 

4 receitas caseiras contra sintomas de gripes e refriados

Tosses e espirros, por exemplo, podem ser combatidos facilmente com receitas caseiras
Foto: Dreamstime

Segundo o fitoterapeuta André Resende, autor do livro "O Poder das Ervas" (ed. Ibrasa), algumas receitas naturais são tiro e quada contra os sintomas da gripe e resfriado.

 abaixo algumas sugestões:

Febre e dor

Ingredientes
· 1 col. (sopa) de folhas de sabugueiro
· 1 col. (sopa) de folhas de eucalipto
· 1 col. (sopa) de folhas frescas de hortelã
· 1 col. (sopa) de anis-estrelado
· 1 col. (sopa) de folhas frescas de alecrim
· 1 col. (sopa) de alfavaca
· 1 litro de água
· Mel para adoçar

Modo de preparo
Com um pilão, macere as folhas de sabugueiro, eucalipto e hortelã junto com o anis-estrelado, o alecrim e a alfavaca. Reserve. Ferva a água, acrescente as ervas maceradas e deixe ferver por mais três minutos. Coe e adoce com mel. Beba uma xícara a cada três horas.

Imunidade baixa

Ingredientes
· 1 fatia de abacaxi
· 1 col. (sopa) de polpa de acerola
· 1 kiwi picado
· 3 folhas frescas de hortelã
· Suco de 2 laranjas
· Mel para adoçar

Modo de preparo
Bata tudo e beba.

Dor e mal-estar

Ingredientes
· 1 copo (americano) de suco de laranja
· 2 rodelas de gengibre
· 2 rodelas de nabo
· 1 pedaço de canela em pau
· 5 cravos da Índia
· 3 folhas frescas de hortelã
· Mel para adoçar

Modo de preparo
Ferva os ingredientes por três minutos. Coe, adoce e beba à noite.

Coriza e nariz entupido

Ingredientes
· 2 copos de água
· 1 limão com casca cortado ao meio
· 1 pedaço de canela em pau
· 2 rodelas de gengibre
· 1 punhado de folhas de eucalipto
· 1 punhado de folhas frescas de hortelã
· Mel para adoçar

Modo de preparo
Aqueça a água, acrescente todos os ingredientes, menos o mel, e deixe ferver por cerca de três minutos. Coe, adoce com o mel e tome uma xícara a cada duas horas ou até desaparecerem os sintomas da gripe ou do resfriado

0 BENEFÍCIOS DO GENGIBRE PARA A SAÚDE

10 Benefícios do gengibre para a saúde

Gengibre: especiaria milagrosa

A medicina Ayurvédica confere ao gengibre o estatuto de armário de medicamentos virtual. Isto porque esta milagrosa especiaria tem, há muito reconhecidas, propriedades digestivas fabulosas além de inúmeros outros benefícios para a saúde.

Na Índia consome-se muito gengibre diariamente. O chá enriquecido com gengibre é um dos favoritos das famílias e é o antídoto de eleição das avós  para combater constipações e gripes.

Em milhões de casas na Índia, não se prescinde, à mesa de jantar, dos palitos de gengibre fresco embebidos em sumo de limão e sal: um acompanhamento indispensável para o seu prato favorito.

10 Fantásticos benefícios do gengibre:

  1. Anda sem apetite? Coma gengibre fresco antes do almoço para estimular o apetite. A medicina Ayurvédica recomenda que o almoço seja a principal refeição do dia, porque é nessa altura que a energia digestiva está no pico.
  2. O gengibre melhora a absorção e assimilação dos nutrientes essenciais.
  3. O gengibre limpa os “canais” de microcirculação do organismo, incluindo os seios nasais que tendem a congestionar-se de vez em quando.
  4. Sente-se com enjoo ou náuseas? Mastigue gengibre, de preferência envolvido num pouco de mel.
  5. Não consegue controlar os gases? Adivinhe! O gengibre ajuda a eliminar a flatulência!
  6. Sofre de cólicas? Mastigue gengibre –  e para melhores resultados, passe-o por azeite quente antes de o mastigar.
  7. Torcendo-se com dores nas articulações? O gengibre, com as suas propriedades anti-inflamatórias, pode aliviar. Deite umas gotas de óleo essencial de gengibre no seu banho para aliviar as dores musculares e das articulações.
  8. Fez uma cirurgia? Mastigar gengibre no pós-operatório pode ajudar a superar a náusea.
  9. Beba chá de gengibre para se livrar das dores de garganta e da congestão nasal. E quando corre uma aragem, os benefícios de aquecimento deste saboroso chá são ainda maiores!
  10. Angústias noturnas?? Experimente adicionar um bocado de gengibre ao seu prato de sopa. Psst … os textos Ayurvédicos conferem ao gengibre propriedades afrodisíacas, também.

Gengibre & Arroz Basmati
Cozinhe arroz basmati. Misture de imediato alho, gengibre, pimenta verde moída e coentros frescos – deixe esta explosão de sabor e fragrância conduzir os seus sentidos!

Sumo com Gengibre
Uma grande ideia: rale um pouco de raiz de gengibre e triture na sua máquina de sumos, juntamente com cenouras, maçãs e um pouco de sumo de limão. Muito saboroso e, é claro, muito bom para a sua saúde!

Sobremesa com Gengibre
Um pouco de gengibre ralado na sua pana cotta ou no gelado de morango intensifica-lhes o sabor!

O Gengibre Equilibra os seus Doshas
Se o seu dosha ayurvédico é Vata (arejado, inquieto) ou Kapha (pesado, lento), o gengibre não é a solução. Mas se o seu dosha é do tipo Pitta, ardente, o gengibre é perfeito para conseguir o equilíbrio. Para compreender a sua personalidade dosha, consulte um bom médico ayurvédico

Adaptado de 10 Health Benfits of Ginger de Shubhra Krishan

JAMELÃO CONTRA A DIABETES

Syzygium jambolanum

Descrição : Da família das Malvaceae, também conhecida como jamelão, azeitona, jalão, jambeiro, jambuí, oliva, oliveira.

Trata-se de uma árvore de porte alto, cultivada no Brasil. Os galhos e as folhas são colocados aos pares e os frutos são de coloração arroxeada, seus ramos e flores são dispostos em pares.

Seus frutos insípidos. Frutifica em fevereiro.

Parte utilizada: Cascas da árvore, folhas, sementes pulverizadas.

Habitat: E natural da Malásia, sendo encontrado na China, Austrália, Antilhas e Brasil, sendo comum em todo o país.

História: É usado pela população indígena e cabocla do país há centenas de anos. O fruto é consumido in natura e presta-se à fabricação de geleias.

Faz parte das farmacopeias aiurvédica e homeopática.

Princípios ativos:

Sementes: Ácidos graxos: ácidos - oleico, mlrístlco, palmítico, Iinoleico, esterculíaco, malvalico, vernólico taninos : corilagina,galoil-glucose, ácido 3,3'-di-0metil-elágico;

Cascas: taninos : ácidos derivados dos ácidos gálico e elágico; Esteróides: B-sitosterol, glicosídeo do B-sitosterol;

Óleos essenciais: triterpenos - ácido botulínico, friedelina, eugenina, friedelanol. friedelana: Flavonoides: miricetina. kaempferol, quercetina, astragalina.

Princípios Ativos: Ácido ascórbico, ácido gálico, antimelina, betacaroteno, carboidratos, cariofileno, eugenol, homuleno, jambosina, limoneno, niacina, proteína, riboflavina, sais minerais (cálcio, cobre, enxofre, ferro, fósforo, magnésio, potássio sódio), tiamina,tanino.

Propriedades medicinais: Astringente, calmante, diurético, estomacal, hipoglicêmica, laxante, sudorífico.

Indicações: Diabetes, prisão de ventre, distúrbios gástricos e pancreáticos, disfunções nervosas, diabete, diarreia, espasmo, estimulante gastrointestinal, gases.

Uso pediátrico: As mesmas indicações possessível.

Uso na gestação e na amamentação: Não há informações da sua farmacocinética ou sobre seu uso nestas condições.

Contraindicações/cuidados: Pacientes diabéticos em uso de qualquer planta, como tratamento complementar, devem ter sua glicemia constantemente monitorada e serem acompanhados por profissional gabaritado e ter acompanhamento clínico.

Jamelão

Posologia:

Adultos 9g de partes secas ou 2g de partes verdes (1 colher de sobremesa para cada xícara de água) de cascas ou sementes em decocto até 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs em

Uso interno (como chá ou gargarejos) ou Uso externo tópico em compressas e lavagens; Pó das sementes: 1 a 2g do pó dissolvido em água 3 vezes ao dia ou em dose única (30 sementes equivalem a 1,9g).

Precauções: Pacientes diabéticos em uso de qualquer planta, como tratamento complementar, devem ter sua glicemia constantemente monitorada e serem acompanhados por profissional gabaritado e ter acompanhamento clínico

Farmacologia: A atividade anti-inflamatória foi demonstrada em experimentos com animais. A atividade hipoglicêmica ainda não foi comprovada. A casca tem atividade adstringente devido a seu alto teor de taninos .

Modo de usar:

- Os frutos "in natura" ou como ingrediente de tortas e doces.

- Tintura das semente: 20 gotas de tintura em meio cálice de água 3 vezes ao dia. Diabetes. Hipoglicemiante e adstringente.

- Decocção de 0,3 g de pó das sementes secas em 150 ml de água. 4 x dia: hipoglicemiante, carminativo, estomacal, diurético, sudorífico, antiespasmódico, antidiarreico, estimulante gastrointestinal.

- Folhas, por infusão: disenteria, gases intestinais, males do estômago. Hipoglicemiante, astringente Contra diabete açucarada toma-se 0,5 gramas de sementes pulverizadas, duas a três vezes ao dia, pode-se obter o mesmo efeito do suco das sementes esmagadas, na dose de duas gotas misturadas com um pouco de água, três vezes ao dia.

Nota: Não há ainda estudo científico que comprove sua eficácia como hipoglicemiante.



Read more: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/jamelao.html#.Vtji0X0rKXY#ixzz41tQN3eE2

Uma planta rica em proteínas que pode minimizar a fome do Brasil. É um cactos trepadeira que apresenta folhas suculentas e comestíveis, tem flores lindas (brancas) que duram apenas um dia. Tem 25,4% de proteína; vitaminas A, B e C; minerais como cálcio, fósforo e ferro. Passa ao alimento bela cor verde inclusive em pão e macarrão, enriquece saladas, refogados, sopas, omeletes, tortas e o arroz-com-feijão. Porque não tem uma ação concreta sobre isso???

Torta de Ora-Pro-Nóbis


Ingredientes:
1 kg de filé de peito de frango
1 cebola média picada
1 tomate picado
5 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de fermento
2 colheres (sopa) de azeite
1/2  xícara de requeijão
1/2  litro de leite
Tempero
1 ovo
1 maço de ora-pro-nóbis
1 colher (sopa) de manteiga
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de manteiga
1/4 de xícara de leite
Sal

Preparo:
Recheio:
Coloque o azeite na panela e doure o frango.
Acrescente o tempero.
Molho Branco:
Coloque manteiga e um pouco do leite.
Quando ferver, acrescente a farinha dissolvida no restante do leite.
Deixe cozinhar e acrescente o requeijão.
Na panela do frango, acrescente cebola, tomate e ora-pro-nóbis.
Misture ao molho branco.
Reserve o recheio.
Massa:
Misture a farinha de trigo, manteiga, fermento, sal, ovo, o leite.
Abra a massa envolvendo toda a fôrma.
Coloque o recheio e cubra com a massa.
Pincele uma gema de ovo para dourar.
Leve ao forno por 30 minutos, até assar.
 
Tortinha de Ora-Pro-Nóbis 

Ingredientes:
6 xícaras de ora-pro-nóbis picadinha
14 colheres de farinha de trigo com fermento
7 ovos
4 colheres de manteiga
2 colheres de amido de milho (maisena)
2 xícaras de leite
1 xícara de bacon picado em cubos
3 cebolas grandes picadas em cubos
Sal e alho 
1 de caldo de carne
3 tomates picados
 
Preparo:
Refogue a manteiga o alho e frite o bacon.
Acrescentar a cebola e deixe dourar.
Acrescente o tomate, três ovos e uma pitada de sal.
Mexa e deixe refogar.
Acrescente a ora-pro-nóbis picada.
Dissolva o caldo de carne num pouco de leite e adicione ao restante dos ingredientes.
Dissolva a maisena em uma xícara de leite e coloque no refogado.
Deixe ferver.
 
Preparo:
Junte a farinha de trigo, quatro colheres de manteiga e sove bem.
Acrescente o sal e os três ovos, misture e sove a massa.
Divida a massa ao meio.
Coloque metade para forrar a fôrma e a outra metade para cobrir.
Abra bem a massa para ficar fininha.
Forre a fôrma, adicione o recheio e cubra com a massa.
Aperte bem nas beiradas.
Pincele com uma gema de ovo.
Leve ao forno durante meia hora.
 
Pão Verde com Ora-Pro-Nóbis

Ingredientes:
50 g de fermento para pão
1/2 copo de água morna
1/2 copo de água fria
2 colheres (sopa) de margarina
2 ovos inteiros
1 colher (sopa) rasa de açúcar
1 colher (sobremesa) de sal
500 g de farinha de trigo (pode ir um pouco mais ou menos, dependendo do ponto da massa)
100 g de folhas de ora-pro-nóbis
 
Preparo:
Dissolva o fermento juntamente com açúcar na água morna.
Misture em seguida os ovos, a margarina e o sal.
Reserve.
Coloque as folhas de ora-pro-nóbis no liquidificador e bater com a água fria.
Junte aos ingredientes reservados, adicionando a farinha até que a massa comece a soltar das mãos.
Sove bem e deixe descansar até que dobre de volume.
Divida a massa em dois pães e colocar novamente para crescer.
Leve para assar em forno já aquecido.
 
Costelinha com Ora-Pro-Nóbis

Ingredientes:
1 kg costelinha porco picada
2 1/2 litros água
1 colher (sopa) gordura
1 colher (sopa) sal com alho
1 cebola média ralada
1 colher de urucum
1 folha louro
1/2 cálice cachaça
1/2 cálice limão
Ora-pro-nóbis picado
Cheiro-verde
Pimenta
 
Preparo:
Lave as costelinhas, coloque em uma panela, cubra com água, junte a cachaça e o limão
Leve ao fogo para uma leve fervura.
Escorra e reserve.
Leve ao fogo uma panela
Aqueça a gordura e junte as costelinhas para fritar levemente.
Retire o excesso de gordura que ser formar, acrescente o sal com alho, a cebola e por último o urucum. Deixe pegar cor, pingue água, junte a folha de louro e tampe.
Deixe cozinhar e vá pingando mais água, até a carne amaciar bem e formar um caldo suculento.
Acerte o tempero e retire do fogo.
Lave e escorra o ora-pro-nóbis, pique e cubra as costelinhas.
Não mexa.
Sirva com angu e arroz com alho.
 
 
Frango com Ora-Pro-Nóbis 

Ingredientes:
2 1/2 kg de frango picado
6 dentes alho amassados
1 colher (sopa) de colorau
1 xícara óleo de soja
2 caldo de galinha
2 maços ora-pro-nóbis (sem talo)
Sal 
 
Preparo:
Lave bem o frango com limão.
Coloque o alho e óleo em uma panela e junte o colorau.
Refogue o frango até prefritar.
Cubra com água até cozinhar bem.
Misture o ora-pro-nóbis, tampe a panela por cinco minutos sem mexer.
Sirva com arroz e angu.
Rende 08 porções

Chás de Frutas

 Rceitas Poderosas preparadas com folhas, cascas e polpas

 

Além das ervas e Plantas , as frutas tambèm podem ser utilizadas no preparo de chás que beneficiam a saúde e previnem doenças. Nós do Ervas Medicinais Curam selecionamos algumas receitas especiais para você usufruir de tudo que a natureza pode oferecer.
 
 

Folhas de casca de laranja

http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Laranja
Para falta de disposição
 
Ingredientes:
 
  • 1 colher de sopa de cascas picadas de laranja
  • 1/2  litro de água
  • 2 colheres de (sopa) de mel
 
Modo de Preparo: Coloque em uma panela, as cascas da laranja e água. Leve ao fogo até começar a ferver. Agora desligue o fogo, tampe e deixe abafado por 3 minutos. Coe e tome 1 copo de 250 ml, a cada 6 horas, acrescentando duas colheres ( sopa ) de mel a cada copo .
 
 
Indigestão
 
Ingredientes:
 
  • 1 xícara de água
  • 1 colher de cascas picadas de laranja
  • 1 colher ( sopa ) de mel
 
Modo de Preparo: Ferva a água e adicione as cascas de laranja. Abafe por 5 minutos e coe. Misture o mel e beba após o almoço e jantar.
 
 

Folhas de Maracujá

Insônia
http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Maracujá
 
Ingredientes:
 
  • 1 folha fresca de maracujá picada
  • 1 xícara de água fervente
  • 1/2 colher de mel 
 
Modo de Praparo:  Em uma xícara vazia, coloque a folha de maracujá picada. Despeje água fervente por cima, tampe com um pires e deixe abafado por 5 minutos. Agora retire o pires com cuidado ( atenção para não se queimar ), coe o chá, misture o mel e tome 30 minutos antes de se deitar
 
 
Ansiedade
 
Ingredientes: 
  • 500 ml de água 
  • 1 colher  de folhas secas de maracujá picadas
  • 1 colher de folhas e flores  secas de camomila
  • 3 colheres de mel
 
Modo de Preparo: Leve a água ao fogo e deixe até começar a ferver. Depois disso desligue o fogo e acrescente as folhas de maracujá e a camomila . Deixe abafado por 10 minutos, coe , misture o mel e beba 1 copo de 250 ml a cada 12 horas. 
 
Contra indicações: a camomila pode vir a causar náuseas e vômitos se consumida em doses acima do recomendado.
 

 

Cascas de uva 

http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Uva
Anti-Envelhecimento
 
Ingredientes:
 
  • 1 litro de água
  • 1 xícara de cascas de uva roxa
  • 1 colher de gengibre fresco picado
  • 4 colheres ( sopa ) de mel
 
Modo de Praparo: Coloque a água e as cascas em uma panela e leve ao por 10 minutos. Desligue o fogo e misture o gengibre. Agora tampe e deixe por 5 minutos, coe, misture o mel e tome a xícara 4 vezes por dia.
 
Contra indicações: o gengibre não deve ser consumidos em casos de gastrite e surodese excessiva
 
 

 Cereja

Cereja
Dores Reumáticas
 
Ingredientes:
 
  • 4 Cereja frescas
  • 2 xícaras ( chá ) de água
 
 
 
Modo de Preparo: Retire os caroços das cerejas e amasse as frutas com um garfo. Coloque em uma panela, acrescente a água e ferva por 5 minutos. Espere amornar, coe e tome 1 xícara a cada 10 horas
 

 

Banana

Inflamação no Estômago 

Ingredientes:
 
  • 2 bananas-nanicas
  • 1 litro de água
 
http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Banana
Modo de Praparo: Cozinhe as bananas-nanicas inteiras em 1 litro de água. Coe e tome 3 xícaras ( chá ) durante o dia.
 
 

Tratamente de Cãibras

Ingredientes:
 
  • 2 bananas-nanicas
  • 1/2 litro de água filtrada
  • 2 colheres ( sopa ) de aveia
  • Mel a gosto
 
Modo de Preparo: Bata no liquidificador, as bananas-nanicas, a água filtrada e a aveia. Agora adoce a gosto com mel e beba 2 xícaras ( chá ) por dia.
 

 

Caqui

http://www.ervasmedicinaiscuram.com/
Caqui

Eliminar o Catarro

Ingredientes:
 
  • 4 caquis
  • 8 colheres ( sopa ) de mel
  • 1 copo ( 300 ml ) de água
 
 
Modo de Preparo: Pegue a polpa sem sementes de 4 caquis , 8 colheres ( sopa ) de mel, 1 copo ( 300 ml ) de água e leve para ferver até engrossar. Tome 2 colheres ( sopa ) do xarope morno durante 3 vezes ao dia.
 
 
Contra Indicações: Por serem abortivas, as sementes de caqui não devem ser consumidas por gestantes

 

 

 

        Receita de Tutu de feijão com torresmo

Parte superior do formulário

Ingredientes

·         ½ xícara (chá) de óleo

·         150g de toucinho picado

·         1 cebola média picada

·         1 dente de alho picado

·         1 kg de feijão cozido

·         Sal a gosto

·         Farinha de mandioca - o suficiente para dar o ponto

·         150g de torresmos quebrados com martelo de carne

·         1 colher (sopa) de salsinha

·         1 colher (sopa) de cebolinha verde picada

·         Pimenta à gosto

Torresmo

·         1kg de barriga de porco fresca

·         Sal à gosto

Modo de preparo

·         Frite o toucinho no óleo, quando estiverem fritos, retire, escorra e reserve.

·         No mesmo óleo refogue a cebola e o alho.

·         Junte o feijão e acerte o sal.

·         Coloque a farinha de mandioca aos poucos, mexendo sempre, até obter um pirão não muito duro.

·         Junte o toucinho frito, os torresmos, a salsinha e a cebolinha.

·         Misture bem se preferir adicione pimenta.

Torresmo

·         Corte a barriga fresca em cubos.

·         Leve ao fogo baixo numa panela e deixe dourar.

·         Mexendo sempre com cuidado. (atenção: cuidado com os respingos de gordura).

·         Acerte o sal.

·         Fica no fogo mais ou menos uma hora.

 


 

 

 

INGREDIENTES

4.5 5 1

  • 3 pães francêses amanhecidos
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 colher de sopa de margarina
  • Leite para ensopar os pães
  • 1 colher de sopa de queijo ralado (opcional)
  • 1 copo de leite integral

 

MODO DE PREPARO

  1. Pique os pães e ensope-os com leite
  2. Coloque no liquidificador os pães e todos os outros ingredientes, bata por uns 3 minutos
  3. Caramelize uma forma de buraco e despeje a mistura do liquidificador
  4. Leve ao forno para cozinhar em banho-maria por aproximadamente 1 hora